Emoção não vai faltar na última rodada da Superliga masculina

Garantia mesmo somente para Sada Cruzeiro e Taubaté-Funvic-SP, que não podem mais serem alcançados nas primeiras posições; Minas pode terminar em terceiro, MOC depende de si e UFJF 'seca' adversários

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Liderança. 

Se vencer confronto de hoje, Sada terá batido todos os adversários desta edição de Superliga
DENILTON DIAS /O Tempo
Liderança. Se vencer confronto de hoje, Sada terá batido todos os adversários desta edição de Superliga

A última rodada da Superliga masculina acontece neste sábado, com todos os jogos às 21h30. Apesar de algumas posições já estarem definidas - como as do líder Sada Cruzeiro e do vice-líder Taubaté-Funvic-SP, muita coisa pode mudar nas outras colocações. Do primeiro ao sétimo lugar, todos estão garantidos nos play-offs, mas a partir do terceiro colocado alterações podem aparecer na classificação final.

A oitava posição ainda reserva apenas uma vaga para três times em disputa. Para este último classificados, dois mineiros estão na briga. Enquanto o Montes Claros, que vai encarar o Vôlei Brasil Kirin-SP, em casa, depende somente de si para se classificar, a UFJF 'seca' o Pequi Atômico e o Voleisul-Paquetá-Esportes-RS, que pega o Minas em Novo Hamburgo. O time de Juiz de Fora terá pela frente o lanterna São Bernardo Vôlei-SP e a provável vitória pode não ser suficiente para o elenco do técnico Alessandro Fadul.

"Não podemos criar uma armadilha pensando que o São Bernardo não jogará para valer, devido à pontuação que tem. O fato de eles virem para cá sem responsabilidades, sem terem o que perder na Superliga, torna o jogo perigoso. Então precisamos entrar fortes e focados para buscarmos a vitória. E esperamos, ao final da vitória, comemorar a possível classificação", relata Fadul.

Mesmo já classificado, o Minas também visa uma bom resultado para subir ainda mais na classificação. Atualmente em quinto, até uma terceira posição pode ser conquistada pelo time de Belo Horizonte, que faz boa campanha.

Mesmo que as equipes afirmem que o foco maior está em seus jogos, já que muitos precisam fazer sua parte para não depender de outros resultados, será inevitável estar atento a partidas de adversários diretos. Um único set perdido ou ganho poderá fazer a diferença, aumentando ainda mais a emoção, que promete ser grande até a última bola cair no chão.

Garantido, mas focado. Nas dez primeiras rodadas da Superliga, o Sada Cruzeiro se manteve invicto. O primeiro tropeço da equipe no torneio veio para um dos seus maiores rivais, o Sesi-SP. Em duas edições do torneio, a final foi feita pelas duas equipes, com um título para cada lado. Neste sábado, a dupla se enfrenta novamente, no ginásio do Riacho, em jogo que, na teoria, vale pouco. Com o Sada Cruzeiro já garantido na liderança, o Sesi-SP é quem tem mais a perder. Em terceiro lugar, o time de São Paulo, que faz campanha irregular, precisa estar atento para não sair do G-4. A briga do time celeste é para não fazer o rival ser o único time a vencer o atual campeão no turno e returno.  O revés sofrido em São Paulo parece não ter incomodar o elenco estrelado. "A rivalidade existe e sabemos que o Sesi é um concorrente direto na briga pelo título. Eles tiveram seus méritos na vitória no quinto set. Serviu de aprendizado e voltaremos a entrar com tudo para buscar a vitória", comenta o ponta Filipe.

O líbero Serginho vai no mesmo caminho e acredita que o resultado negativo serviu de lição. "Aquela derrota teve pontos positivos e negativos. Às vezes, só vencer pode esconder alguns erros. Essas falhas ficam mais visíveis nas derrotas. Não ficamos remoendo isso, tudo que aconteceu na fase de classificação nos ajudará nos play-offs", indica o defensor.