Passarela improvisada de novo

A diarista Duzelina Rosa, 47, passa pelo local todos os dias e teme pela segurança

iG Minas Gerais |

Está sendo construída estrutura semelhante à que foi derrubada
Uarlen Valério
Está sendo construída estrutura semelhante à que foi derrubada

Quase cinco meses após ser derrubada e depois de vários acidentes envolvendo pedestres – um deles com morte –, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) voltou a montar, de maneira improvisada, uma passarela, no KM 8 do Anel Rodoviário, próximo ao viaduto São Francisco.

Os moradores que precisam fazer a travessia da via reclamam da estrutura precária. Para Lilian Luzia Nicolau, 38, a remontagem do equipamento é uma tragédia anunciada. Ela era casada com Agnaldo Vilácio Rocha, 39, que morreu ao cair da primeira passarela, no ano passado. Ele tropeçou em uma tábua solta, não teve como se apoiar e caiu de uma altura de sete metros.

A diarista Duzelina Rosa, 47, passa pelo local todos os dias e teme pela segurança. Para não se arriscar entre os carros, enquanto a nova passarela não fica pronta, ela percorre um trajeto maior, passando por baixo do viaduto, para chegar ao ponto de ônibus, no Anel Rodoviário. Embora nunca tenha presenciado acidentes, acredita que a estrutura metálica seja frágil. “Já pensou se outra carreta bate na passarela nova?”, disse.

O borracheiro Geraldo Ferreira, que trabalha às margens do Anel há dez anos, compartilha da opinião. “Eu já prendi a minha calça em um prego que estava exposto. Ela até rasgou. E em período de chuvas, essa passarela escorrega demais. Eu não vou usá-la para atravessar a rodovia”, afirmou. (Nathália Lacerda)

Improviso

Espera. A primeira passarela provisória foi derrubada por um caminhão que perdeu o controle no Anel Rodoviário. A estrutura definitiva, segundo o Dnit, só será erguida com a reforma da via.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave