O universo punk de Martielo

Designer de moda apresenta, em exposição na capital, visual da graphic novel “Sci-Fi Punk Projects”

iG Minas Gerais | Fábio Corrêa |

Moda. Na exposição que abre hoje para o público, Martielo Toledo (à direita), põe o punk e a ficção científica a serviço da moda
LEO FONTES / O TEMPO
Moda. Na exposição que abre hoje para o público, Martielo Toledo (à direita), põe o punk e a ficção científica a serviço da moda

Em 1976, o rosto de uma esfinge foi fotografado no solo de Marte por uma sonda da Nasa. Os enigmas contidos naquela revelação acabaram, portanto, levando renomados cientistas a se juntarem a astros do rock, criando a The Martian Secret Society (MSS), um grupo cuja missão é difundir os perigos de um vírus extraterrestre de poder letal. É o cenário pré-apocalíptico de “SCI-FI Punk Projects”, no qual heróis lutam contra a ameaça alienígena, lançando mão de poderes que vão do conhecimento da genética a rituais xamanísticos dos índios amazônicos.

Os desdobramentos desta batalha para livrar a humanidade da ruína dão o tom na exposição que começa hoje no Centro de Referência de Moda de Belo Horizonte. Concebido pelo designer de moda Martielo Toledo, a mostra é também mais um passo na construção do universo que começou nos figurinos, se estendeu ao formato dos quadrinhos e deu origem à trilogia “SCI-FI Punk Projects”, cujo primeiro volume foi lançado, em 2013, pela editora Devir.

Tudo começou em 1994, com a coleção Salve-Rainha, cujas estampas eram inspiradas em super- heróis japoneses da década de 1960, como Ultraman e National Kid. Pouco tempo depois, Martielo criou a série Cowboy Punk, na qual a inspiração no visual de artistas como David Bowie e os Sex Pistols ficou mais evidente. O caminho continuou sendo trilhado até 2001, quando, em uma feira de moda em Londres, uma jornalista sueca cunhou o termo que batizaria o universo criado pelo designer.

“Ela chegou e disse que o meu estilo era ‘Sci-Fi Punk’”, conta o mineiro de Itapecerica. “Achei que encaixava muito bem, então acabou se tornando o nome do projeto”. Dois anos depois, o universo se completou. Uma grife na qual trabalha o convidou para fazer fotos para divulgação, mas Martielo, diferentemente dos outros designers da empresa, resolveu se vestir com uma máscara de lutador mexicano.

“Resolvi adaptar um pouco o visual da máscara e me lembrei daquela esfinge do solo de Marte”, relembra.

Em “Sci-Fi Punk Project”, a esfinge é a insígnia do MSS, a sociedade secreta em torno da qual gira o enredo da graphic-novel. Logo na entrada da exposição, o visitante se depara com o púlpito no qual são feitas as reuniões do grupo. Ao lado, estão as bandeiras de Estados Unidos, Inglaterra, Japão e Brasil: todas em tecido negro, distinguíveis apenas por contornos na costura. Nesse mundo, o negro é, como explica Martielo, a cor dos “invisíveis”.

A segunda sala da exposição, ainda no primeiro andar, traz quadros com imagens das estampas criadas pelo designer. São referências diversas, da pop arte de Andy Warhol ao punk dos Ramones.

Já no segundo andar, é possível se familiarizar com os figurinos dos personagens, como o Scorpion King, com um capacete robótico que remete ao visual das bandas Daft Punk e Kraftwerk, ícones da música eletrônica. E nos quadros estampados com capas do tabloide “The Mars” (inspirado no britânico “The Sun”), noticiando sobre o inevitável apocalipse, o raio que destrói o Capitólio é uma clara referência à capa do álbum de estreia da banda punk Bad Brains.

Porém, apesar dos esforços da MSS, o universo de “Sci-Fi Punk Project” vai inevitavelmente acabar – mas não sem perder o estilo. “É um mundo decadente, mas que tem uma elegância, uma estética bonita de se ver”, conclui o designer.

Agenda

O QUÊ. Exposição “Moda em Quadrinhos”, de Martielo Toledo

QUANDO. De hoje a 10 de abril; terças às sextas, das 9h às 21h; sábados e domingos, das 10h às 14.

ONDE. Centro de Referência de Moda (rua da Bahia, 1.149, centro)

QUANTO. Entrada gratuita.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave