Em um ano, taxa de desemprego sobe de 4,8% para 5,3%, aponta IBGE

Com a maior busca por trabalho e sem vagas para todos, a população desocupada (estimada em 1,3 milhão nas seis maiores metrópoles do país) aumentou 22,5%

iG Minas Gerais | Folhapress |

Multidão. Governo estima que 8,3 milhões de trabalhadores receberão benefício só neste ano
ALEXANDRE GUZANSHE/O TEMPO
Multidão. Governo estima que 8,3 milhões de trabalhadores receberão benefício só neste ano

 Como é comum nos primeiros meses do ano diante da dispensa de trabalhadores temporários e com a maior procura por emprego, a taxa de desemprego subiu em janeiro para 5,3%, contra 4,3% em dezembro. Em janeiro de 2014, o percentual também havia sido menor: 4,8%. Os dados foram divulgados pelo IBGE na manhã desta quinta-feira (26).

Com a maior busca por trabalho e sem vagas para todos, a população desocupada (estimada em 1,3 milhão nas seis maiores metrópoles do país) aumentou 22,5% frente a dezembro (237 mil pessoas a mais) e 10,7% em relação a janeiro de 2014 (125 mil pessoas a mais).

Já o total de ocupados (23 milhões) caiu 0,9% em relação a dezembro (menos 220 mil pessoas) e ficou estável na comparação com janeiro de 2014.

Com esses movimentos, a população não economicamente ativa, que reúne os chamados inativos, foi estimada em 19,3 milhões, mantendo-se estável em relação a dezembro e com alta de 2,9% frente a janeiro de 2014 (mais 551 mil pessoas).

A expectativa de analistas era de uma alta da taxa, para em torno de 5%. Para 2015, a retomada da procura por emprego, num cenário de menor crescimento da renda, do emprego e da economia, deve fazer com que a taxa se eleve ainda mais ao longo do ano, segundo analistas.

Em 2014, a média foi estimada em 4,8% (a menor da série do IBGE, iniciada em 2003), contra 5,4% em 2013. Em relação a 2003 (12,4%), a redução chegou a 7,5 pontos percentuais.

Leia tudo sobre: economiadesempregotrabalho