Parceria entre times mineiros

Já classificados, Sada e Minas podem ajudar UFJF e MOC a avançarem na competição nacional

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Na ponta. Líder absoluto da Superliga, Sada Cruzeiro pode ajudar o MOC e a UFJF a se classificarem
Picasa
Na ponta. Líder absoluto da Superliga, Sada Cruzeiro pode ajudar o MOC e a UFJF a se classificarem

Dos quatro representantes mineiros na Superliga masculina, Sada Cruzeiro e Minas Tênis Clube já estão garantidos nos play-offs. Além deles, o Montes Claros Vôlei está com a “mão na massa”, dependendo somente de si para garantir presença na próxima fase. Uma vitória dentro de casa, contra o Vôlei Brasil Kirin-SP, deixa o MOC entre os oito melhores colocados.

Mas o que chama a atenção na última rodada do returno, que acontece no próximo sábado, com todos os jogos às 21h30, é a possibilidade de as equipes mineiras poderem se ajudar mutuamente na classificação final. A situação mais confortável é a do Sada Cruzeiro. Com dez pontos de frente para o segundo colocado e já garantido na primeira posição, o time celeste quer fechar a última rodada desbancando o Sesi-SP, uma das duas equipes que o venceu nos 21 jogos realizados até aqui.

Os outros mineiros, Minas e MOC, devem ficar de olho em outras partidas. Se o Minas vencer o Voleisul-Paquetá-Esportes-RS, a equipe encaminha sua presença no G-4, grupo dos que terão vantagem de decidir em casa nas quartas de final.

No entanto, a equipe do de Lourdes precisaria “secar” seus principais concorrentes, Sesi-SP e Vôlei Brasil Kirin. Por uma questão do destino, os times paulistas encaram, respectivamente, Sada Cruzeiro e Montes Claros Vôlei.

“Podemos ficar até em terceiro lugar, dependendo dos resultados. Mas não podemos ficar preocupados com os outros jogos, principalmente durante a nossa partida. Nosso foco precisa ser 100% no Voleisul, que vai vir pra cima, pois ainda tem chances. Depois que o jogo acabar, posso me preocupar com os outros resultados”, comenta Nery Tambeiro, técnico do Minas.

Quase lá. Mesmo dependendo somente de si próprio para se classificar, se não conseguir pontuar frente o Brasil Kirin, o Montes Claros terá que torcer por tropeços de seus concorrentes na briga pelo G-8. Caso não vença a partida em, no máximo, quatro sets, o Pequi Atômico estará de olho em Novo Hamburgo, torcendo para o Minas vencer o Voleisul. A briga é válida pela última vaga do G-8, que ainda tem a UFJF na disputa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave