Patrulhas contra vazamentos e gatos estarão nas ruas na semana que vem

Informação foi divulgada nesta quinta-feira (26) durante audiência pública sobre a crise hídrica, realizada na Câmara Municipal de BH

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

“Ataque”. Quarenta equipes com dois trabalhadores cada estarão nas ruas para detectar e consertar vazamentos em menor tempo
COPASA/DIVULGAÇÃO
“Ataque”. Quarenta equipes com dois trabalhadores cada estarão nas ruas para detectar e consertar vazamentos em menor tempo

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) anunciou nesta quinta-feira (26) que, a partir da semana que vem, vai colocar nas ruas patrulhas para fiscalizar vazamentos e caçar os gatos de água. A informação foi divulgada nesta tarde em audiência pública sobre a crise hídrica realizada na Câmara Municipal de Belo Horizonte. 

Ainda conforma a empresa, atualmente os vazamentos são os principais vilões da crise de abastecimento, responsáveis por 40% das perdas de água. Os gatos, captações clandestinas, são responsáveis por 35% das perdas.

A medida já havia sido antecipada, sem detalhes, no último dia 22 de janeiro. A concessionária pede para os consumidores denunciarem mais, pelo telefone 115. A meta é reduzir o tempo de atendimento dos vazamentos de nove horas para quatro horas.

Caça Gotas

No dia 5 de fevereiro deste ano, a Copasa lançou o programa Caça Gotas, que tem o objetivo de diminuir o desperdício de água na hora da distribuição. Atualmente, 40% da água tratada é perdida neste trajeto. “Nosso objetivo é diminuir este índice para 30% nos próximos quatro anos”, afirmou o diretor de Operação Metropolitana da Copasa, Rômulo Perilli, na época.

Ainda conforme o diretor, além dos vazamentos e dos gatos, 10% dos desperdícios ainda acontece por conta de erros na medição de hidrômetros. “É uma quantidade pequena, mas temos este terceiro fator que é a falta de precisão de alguns hidrômetros”, explicou.

Para colocar o programa em prática, a Copasa definiu as 40 equipes, formadas cada uma por dois funcionários internos, que ficarão responsáveis exclusivamente pela identificação e solução de vazamentos e captação irregular. “Separamos uma equipe própria e os serviços que estes funcionários realizavam anteriormente poderão ser terceirizados”, informou o diretor.