Antônio Carlos, perto da cracolândia, está sem luz há duas semanas

Segundo denúncia de moradores, além da violência constante a ausência de iluminação pública só aumenta o medo

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Se não bastasse o medo diário ao circular pela avenida Antônio Carlos devido ao grande número usuários de crack que perambulam pela região, os moradores dos bairros Nova Cachoeirinha e Aparecida, na região Noroeste de Belo Horizonte, estão há cerca de duas semanas sem iluminação pública na via, precisamente no trecho entre o viaduto São Francisco, do Anel Rodoviário, e a avenida Bernardo Vasconcelos. 

Conforme uma moradora do Nova Cachoeirinha de 30 anos, que preferiu manter o anonimato, o trecho está completamente sem a iluminação desde o início da semana passada. "Na última segunda-feira (23) duas pessoas quase foram atropeladas perto de mim ao atravessar a pista do Move. Se confundiram com o clarão dos faróis, já que estávamos na completa escuridão", relatou. 

O problema maior, ainda de acordo com a moradora, é para quem espera os coletivos nas laterais da avenida, já que os pontos do Move continuam iluminados. "A região sempre foi repleta de usuários de drogas, principalmente de noite. A sensação é de constante insegurança", lamenta a mulher, que pega ônibus no local diariamente. 

Ela já foi vítima de um assalto próximo de casa em novembro do ano passado. Sem luz, o medo fica ainda maior. "A violência ali independe da iluminação, mas o escuro aumenta a sensação de insegurança de todos que passam pela região. Até mesmo alguns ônibus, principalmente os que seguem para o Centro, às vezes não param por não conseguirem ver quem está dando o sinal", finaliza a mulher.

Sudecap

A Superintendência de Desenvolvimento de Belo Horizonte (Sudecap), que é responsável pela manutenção da iluminação pública na capital mineira, foi procurada pela reportagem de O TEMPO. Até o momento o órgão ainda não se posicionou oficialmente sobre o caso. 

Entretanto, de acordo com a empresa terceirizada que faz os reparos, a Remo Engenharia, eles já foram notificados sobre o problema  e, na última sexta-feira (20), fizeram uma vistoria em diversos trechos da avenida Antônio Carlos. A empresa afirma que as devidas providências para resolver o problema já estão sendo tomadas.