Lula diz ao PMDB que governo precisa agir rápido para não perder povo

Para ele, há um grande embate nas mídias sociais de ataque ao governo, que não pode ficar parado e perder a batalha

iG Minas Gerais | Folhapress |

Lula diz que futuro da oposição é abstrato e reclama de
Lula diz que futuro da oposição é abstrato e reclama de "sacanagem" de TV

Em encontro com a cúpula do PMDB no Senado, o ex-presidente Lula disse nesta quinta-feira (26) que o governo federal tem que agir rápido para não perder a população. Segundo relato de senadores presentes ao encontro nesta manhã, o petista disse que ajudará a presidente Dilma Rousseff a corrigir rumos para sair da crise política e econômica.

Nas palavras de um peemedebista à reportagem, o "governo está nas cordas" e depende agora de uma contrapartida da presidente. Na avaliação de Lula, a presidente precisa partir para uma postura mais forte para que seja retomada a confiança no país.

Para ele, há um grande embate nas mídias sociais de ataque ao governo, que não pode ficar parado e perder a batalha. "Não pode ficar sem contraponto", disse um senador presente ao encontro.

O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), disse a Lula que ele é o "fiador" da relação do partido com o PT e pediu sua intervenção para recompor as pontes com o governo Dilma. O senador ponderou que é necessário "reordenar" a coordenação política para aproximar os peemedebistas do Planalto.

O petista ressaltou a importância de diálogo com o PMDB e disse que vai ajudar na retomada da interlocução da legenda com o Planalto. Desde a reeleição de Dilma, o PMDB tem se queixado da falta de interlocução com a presidente e de acesso às decisões centrais do governo, o que desgastou a relação entre eles.

Os senadores do PMDB reclamaram a Lula que a votação do veto de Dilma ao reajuste de 6,5% na tabela do Imposto de Renda vai provocar um "desgaste" no Congresso e indicaram que a bancada não está disposta a suportar a pressão por sua derrubada.

O ex-presidente manifestou preocupação e orientou os parlamentares a procurarem Dilma para discutir o tema.

Estavam presentes no encontro Oliveira, Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR), Edson Lobão (MA) e Garibaldi Alves (RN).

O ex-senador José Sarney (PMBD-AP) e o senador Blairo Maggi (PR-MT) também estiveram presentes. Maggi disse ao ex-presidente que os empresários estão paralisados e sem confiança para investir.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave