Bispo denuncia restrições a cristãos na fronteira Síria-Turquia

O Estado Islâmico (EI) sequestrou pelo menos 90 pessoas da minoria cristã assíria em vilas ao nordeste do país, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), uma ONG com sede em Londres

iG Minas Gerais | AFP |

O bispo sírio Jacques Behnan Hindo denunciou nesta quarta-feira o bloqueio à circulação de cristãos em Hasaka (nordeste da Síria), próximo à fronteira com a Turquia, uma das várias adversidades que colocam esta comunidade em perigo.

Famílias inteiras têm fugido passando por dentro de Damasco (capital da Síria), já que são impedidas de escapar pela estrada devido "ao bloqueio a que todos estamos submetidos", disse o bispo em entrevista à Rádio Vaticano.

O Estado Islâmico (EI) sequestrou pelo menos 90 pessoas da minoria cristã assíria em vilas ao nordeste do país, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), uma ONG com sede em Londres.

Os jihadistas lançam uma brutal campanha de limpeza étnica e religiosa na região, habitada por uma maioria de cristãos.

"A estratégia de terror funciona", comentou o religioso. Ele ainda garantiu que as autoridades turcas deixam passar caminhões carregados de petróleo, trigo, algodão, inclusive combatentes do EI, mas não permitem que os cristãos saiam de onde vivem.

Antes de começar a guerra civil na Síria, em março de 2011, havia cerca de 120.000 assírios em Hasaka. Atualmente, a maioria se refugiou em países vizinhos.

As vilas na região nordeste desfrutavam da proteção de forças curdas, superadas pelo expansionismo do grupo jihadista.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave