Marcelo Oliveira minimiza altitude de Sucre e quer vitória na estreia

Treinador celeste pede que não amplie excessivamente o quadro da altitude e frisa importância do Cruzeiro aliar técnica e espírito aguerrido

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Técnico celeste exaltou retomada do espírito competitivo no time estrelado
douglas magno
Técnico celeste exaltou retomada do espírito competitivo no time estrelado

Diante de um adversário teoricamente limitado, para muitos, o grande obstáculo que o Cruzeiro terá na estreia da Libertadores, nesta noite, diante do Universitario Sucre, será a altitude boliviana. Entretanto, o técnico Marcelo Oliveira considera que o nível não é tão elevado, portanto, não afetará drasticamente a equipe mineira.

Sucre, onde o jogo será realizado, está a cerca de 2.810 metros acima do nível do mar, altitude razoável se comparada a lugares como La Paz, Potosi, Oruru, todas na Bolívia, e que quase alcançam os quatro mil metros.

Por isso mesmo, Marcelo Oliveira avalia que o Cruzeiro saberá lidar bem com a situação e tem condições de fazer um grande jogo.

“A altitude modifica para os times que não estão acostumados, mas quando você fala em 2.800 metros é mais ameno. Não podemos ampliar esse quadro. Estamos trabalhando para que o time esteja bem postado e organizado, em condições de fazer um grande jogo, tanto na parte técnica quanto física", disse.

O treinador deixa claro que a ambição celeste é vencer o jogo, mesmo atuando fora de casa e na altitude boliviana. Para tanto, ele espera que o time tenha assimilado um dos pontos que ele tem insistido neste início de temporada, que é aliar técnica e competitividade, além de saber jogar com inteligência, evitando desgastes desnecessários em campo.

"Percebemos nos jogos alguns times com muita qualidade e outras equipes com alto grau de competitividade. Falávamos de termos mudado muito o nosso time, mas já há uma base da equipe e o Campeonato Mineiro nos dá a condição de formar um time básico para a Libertadores. Esperamos que nesse primeiro jogo a gente possa competir bem e produzir muito. Precisamos disso na altitude, ter  boa posse de bola, não rifar muito, mas sempre com o propósito de ganhar e iniciar bem o campeonato", afirmou.

Em caso de vitória, o Cruzeiro terá a possibilidade de se isolar na liderança do Grupo 3 do torneio sul-americano, já que Huracán-ARG e Mineros-VEN empataram em 2 a 2. 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposamarcelo oliveiratecnicolibertadoresaltitude