Jardineiro não aceita fim de casamento e mata diarista a tiros

Crime foi em Lagoa Santa; suspeito foi preso nessa terça-feira; homem acreditava que mulher o largou para ficar com outro

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Suspeito pode pegar até 30 anos de prisão
Jhonny Cazetta/Webrepórter
Suspeito pode pegar até 30 anos de prisão

Um jardineiro de 39 anos, suspeito de matar a esposa, por não aceitar o fim do casamento, foi preso na casa de parentes, em Lagoa Santa, na região Central de Minas Gerais, nessa terça-feira (24). De acordo com o delegado Daniel Balthazar Coutinho, R.R.S. acreditava que a mulher o teria largado para ficar com outro homem. O crime aconteceu no início deste mês.

Segundo as investigações do caso, a diarista Márcia Antônia Teixeira, 38, acreditava que o marido estava tendo um caso com uma adolescente de 13 anos e por isso teria colocado fim ao relacionamento de 15 anos, há cerca de três meses.

No dia do crime, o suspeito foi à casa, onde a mulher morava com o filho deles de 12 anos, arrombou a porta e a baleou várias vezes, acertando as costas e a barriga dela. O filho do casal e um sobrinho presenciaram o assassinato.

O homem chegou a fugir para o Norte de Minas e teria voltado para a cidade nesta semana. Familiares da vítima contaram à polícia, que um dia após matar a diarista, o jardineiro teria rondado a região em uma S10 ameaçando matar mais pessoas, mas esse fato não foi confirmado pela investigação.

O suspeito está detido no Presídio de Lagoa Santa e vai responder por homicídio qualificado por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Ele pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.

Leia tudo sobre: tirosjardineirodiaristafilhocasamento