Jovem é preso após tentar imitar cenas de '50 tons de cinza' nos EUA

Estudante de Chicago foi acusado de agressão sexual depois de tentar reproduzir cenas sadomasoquistas de filme com mulher

iG Minas Gerais | AFP |

Venda de ingressos de 'Cinquenta Tons de Cinza' começa nesta quinta
Divulgação
Venda de ingressos de 'Cinquenta Tons de Cinza' começa nesta quinta

Um estudante de Chicago, norte dos Estados Unidos, foi acusado de agressão sexual depois de ter tentado imitar, segundo relatou, cenas sadomasoquistas do filme '50 tons de cinza', informou nesta terça-feira (24) a imprensa americana.

Mohammad Hossain, um estudante de engenharia de 19 anos, foi preso depois que um juiz do condado de Cook, Adam Bourgeois, o impôs uma fiança de 500.000 dólares.

O jovem foi encontrado no sábado em seu quarto na universidade de Illinois com uma jovem que "já tinha tido intimidade", segundo a acusação citada por ele no diário 'Chicago Tribune'.

Com características similares às cenas do filme, de Sam Taylor-Johnson, Hossain atou com correntes as mãos e as pernas da menina, tampou sua boca com uma corda e os olhos com um gorro, antes de bater nela com um cinto e com suas mãos.

A jovem havia pedido que parasse porque estava doendo, mas o jovem continuou batendo nela. Quando ela soltou seus braços, ele conseguiu pegá-los e a agrediu sexualmente, segundo a acusação.

Quando Hossain foi interrogado, ele afirmou que estavam repetindo algumas cenas do filme e admitiu a agressão afirmando "ter feito algo ruim".

Lançado nos Estados Unidos no dia de São Valentim, o filme baseado em um romance homônimo de E.L. James conta a história de amor e submissão entre o milionário Christian Grey e uma jovem de 22 anos, ainda virgem, seduzida durante uma entrevista.

Apesar da espera por um filme mais fiel à intensidade erótica do romance que conquistou milhões de leitores - sobretudo mulheres-, o filme lidera por duas semanas consecutivas o ranking norte-americano, com uma arrecadação total de 130 milhões de dólares.

Leia tudo sobre: 50 tons de cinzacinemajustiçapresoestudanteestados unidossadomasoquistas