Seis municípios ganham planos de saneamento

Cidades poderão solicitar à União verba para execução dos projetos

iG Minas Gerais | Rafaela Mansur |

Contemplada. 
Bom Despacho, no Centro-Oeste, é uma das cidades que receberam o documento
Sesc/Divulgação
Contemplada. Bom Despacho, no Centro-Oeste, é uma das cidades que receberam o documento

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) entregou nesta terça planos de saneamento básico para seis municípios. Pompéu, Abaeté e Papagaios, na região Central de Minas Gerais, e Lagoa da Prata, Moema e Bom Despacho, no Centro-Oeste, foram as primeiras cidades no Estado a receberem os planos da entidade.

“Os critérios foram a falta de estrutura, o porte e a localização dos municípios, que estão nas cabeceiras do rio (no Alto São Francisco)”, disse o vice-presidente do comitê, Wagner Soares.

A elaboração dos planos recebeu financiamento de mais de R$ 1,5 milhão, valor advindo da cobrança pelo uso das águas do rio, feita pela Agência Nacional de Águas. “Nós entendemos que o saneamento é fundamental para a qualidade das águas”, afirmou Soares.

O plano abrange serviços de abastecimento de água potável, esgoto sanitário, manejo de resíduos sólidos e drenagem e manejo das águas pluviais urbanas. Segundo Soares, o documento aborda a situação atual e faz uma projeção das necessidades de cada município, em longo prazo. “É um planejamento que aponta as diretrizes que devem ser seguidas para que os recursos sejam suficientes no futuro”.

Os planos são, ainda, instrumentos para que os municípios possam buscar recursos federais para financiamento de obras. De acordo com lei federal de 2007, todas as prefeituras deveriam elaborar seus planos até 2014. “Mas muitos municípios não conseguem, por falta de verba e capacidade técnica”, afirmou Soares.

Em Moema, a captação e distribuição de água é um dos problemas. “Recursos naturais nós temos, mas faltavam diretrizes. O plano agora abre portas para a captação dos recursos necessários”, disse o prefeito da cidade, Julvan Rezende.

O tratamento do esgoto é o maior problema de Abaeté e, para o prefeito Armando Greco Filho, a situação vai melhorar a partir de agora. “O plano caiu do céu, porque nós não teríamos condição de fazer com recursos próprios”, afirmou.

Já em Lagoa da Prata, faltam drenagem das águas e coleta seletiva de lixo. “O plano vai ajudar a solucionar esses problemas mais rapidamente”, disse o secretário de Administração e Governo, José Octaviano.

Demandas. Dentre mais de 90 demandas, 24 municípios da bacia do São Francisco foram selecionados para receber planos de saneamento. A previsão do CBHSF é expandir o projeto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave