Pedro Lourenço

Fundador do Supermercados BH

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Você achou que a rede ia crescer tanto assim?

Não. Eu tinha vontade de ter uma loja para mim, e as coisas foram acontecendo. Eu não tinha uma meta. E a gente vai fazendo sem pressa, sem competição, nunca entro em briga com o outro para comprar terreno, eu não gosto de atrapalhar o caminho de ninguém, no leilão, eu não entro.

Além de crescer onde não tinha supermercado algum, quais são os outros motivos para a rede estar entre as dez maiores do país?

É o trabalho. Estou todos os dias aqui, sei qual é a necessidade do consumidor mantendo um equilíbrio de preço. Aqui, nosso preço é um só, dentro da condição que temos, sem preocupar com a concorrência, com o que os outros estão fazendo, com loja gourmet, e dentro de uma condição igual para todos, pobre ou rico.

E qual é a necessidade do consumidor?

É uma loja limpa, organizada. Sabão em qualquer lugar é sabão, feijão, arroz, a marca não muda. Procuramos manter o preço unificado, e não ter dois a três preços nas lojas como a maioria faz.

Como você consegue ter preço?

Com volume a gente vai adquirindo preço menor. E temos custos bem menores que as outras redes do nosso porte. Na média, vendemos 500 produtos industrializados, ligados à cesta básica, 8,4% mais baratos. Como os outros foram para a Zona Sul, construí o Supermercados BH onde o poder de compra melhorou muito. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave