Para acabar com bloqueio de estradas, governo receberá caminhoneiros

Objetivo do encontro é apresentar proposta sobre prorrogação relativa ao programa de crédito do BNDES chamado ProCaminhoneiro e a regulamentação da Lei da categoria

iG Minas Gerais | Folhapress |

Senado aprova flexibilização do descanso para motoristas profissionais
DENILTON DIAS/O TEMPO
Senado aprova flexibilização do descanso para motoristas profissionais

Para tentar dar um fim ao bloqueio de estradas por caminhoneiros, o governo federal coordenará uma reunião entre representantes de caminhoneiros e do setor empresarial, anunciou nesta quarta-feira (24) o ministro Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência).

Na reunião, que deve ocorrer em Brasília nesta quarta (25), o governo apresentará propostas sobre outros dois temas: a prorrogação relativa ao programa de crédito do BNDES chamado ProCaminhoneiro -que já está sob análise- e a regulamentação da Lei dos Caminhoneiros, já aprovada pelo Congresso.

A diminuição do preço do diesel, uma das reivindicações centrais dos motoristas, contudo, não está em discussão neste momento, afirmou o ministro.

"Estamos instalando amanhã [quarta] e coordenando uma mesa de negociações, de diálogo entre empresários e lideranças dos caminhoneiros, às 14h, para que possamos, num ambiente de negociação direta, avançarmos na solução do preço do frete do nosso país", afirmou Rossetto. Questionado durante entrevista coletiva, ele não especificou a quais lideranças se referia.

"Outro tema importante é a recente Lei dos Caminhoneiros, aprovada no Congresso, que traz um conjunto de temas importantes para responder a pauta dos caminhoneiros que estão em mobilização. Há um outro tema também, levantado pelas lideranças dos caminhoneiros, em relação à prorrogação de financiamento do programa ProCaminhoneiro, do governo federal. O BNDES já está analisando essa reivindicação de prorrogação de financiamento para os caminhões."

Ele disse que o governo ainda está debatendo qual será a posição dele em relação a esses dois tópicos.

Sobre a questão do diesel, afirmou: "Não faz parte da pauta do governo a redução do preço do diesel neste momento. Estamos confiantes que com a agenda que estamos propondo. [Vamos criar] uma relação muito positiva, de diálogo, de solução de atendimento de reivindicações e um ambiente que permita a retomada da normalidade do nosso país."

Rossetto afirmou que o "governo tem um enorme respeito pelos caminhoneiros do nosso país", que "prestam um serviço importantíssimo ao nosso país".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave