Prefeito do Rio diz que "odeia" ter feito campo olímpico de golfe

No último mês, MP do Rio instaurou inquérito para investigar gastos da obra

iG Minas Gerais | Folhapress |

Prefeito recebeu o COI para falar sobre os preparativos para os Jogos
Reprodução/Facebook
Prefeito recebeu o COI para falar sobre os preparativos para os Jogos

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse nesta terça-fera que "não faria nunca" o campo de golfe olímpico. Depois de participar de reunião com os integrantes do COI (Comitê Olímpico Internacional), ele declarou que "odeia" construir o campo.

No mês passado, o Ministério Público do Rio instaurou inquérito para investigar eventual ato de improbidade administrativa prefeito na operação que viabilizou a construção do campo de golfe

A investigação foi aberta após representação do movimento "Golfe para quem?". De acordo com a entidade, o prefeito gerou uma receita de mais de R$ 1 milhão para a incorporadora que vai construir o campo de golfe, ao custo de R$ 60 milhões.

"Eu odeio ter de ter feito este campo de golfe. Por mim, não teria feito este campo de golfe nunca. Mas, infelizmente, todos os pareceres diziam que nem o Gávea Golf nem o Itanhangá serviam [para os Jogos]", disse Paes

O prefeito justificou a construção do campo de golfe como um dos pesos para realizar a Olimpíada. Ele também lamentou construir uma corredeira artificial para as provas de canoagem slalom em Deodoro.

"Você acha que quero fazer um rio para o cara descer de canoa? Agora, tem de botar na balança. No peso, é muito do cacete a Olimpíada para a cidade. Mas tem de fazer o campo de golfe, fazer o negócio lá em Deodoro para o sujeito descer igual a um tarado um rio durante uma semana. Depois, a pista de canoagem vai virar um parque, vai virar "esquibunda" para a molecada descer", acrescentou.

O presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), Thomas Bach, disse nesta terça (24) que está satisfeito com a organização dos Jogos Olímpicos do Rio.

"Essas áreas serão montadas para atrair turistas e cariocas. Servirá para as pessoas que não tiverem ingressos aproveitarem os Jogos", afirmou o prefeito, que não adiantou o valor gasto na empreitada.

A festa na região do Porto vai se espalhar do Armazém sete até a Praça 15, uma área de cerca de três quilômetros.