Após atentado, MP anuncia reforço no combate ao crime organizado

Procurador-geral se prometeu mais segurança e investimentos estruturais nos grupos; a sede da promotoria de Monte Carmelo tem apenas um vigia terceirizado, que trabalha em horário comercial

iG Minas Gerais | Bárbara Ferreira |

Após o atentado contra o promotor de Justiça Marcos Vinícius Ribeiro Cunha, da comarca de Monte Carmelo, no Alto Paranaíba, no último sábado (21), o Ministério Público anunciou que haverá um reforço na segurança em todas as onze unidades do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Estado.

Cunha era membro do Gaeco de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e de acordo com o Procurador-Geral de Justiça Carlos André Mariani Bittencourt, a região terá cuidados redobrados.

O procurador-geral se comprometeu com o reforço na segurança e investimentos estruturais nos grupos, mas não revelou quais as medidas serão tomadas. “É uma questão de segurança interna e não podemos explicitar o que será feito. Atualmente temos poucos promotores sob ameaças, mas vamos rever a metodologia para esses casos”, afirmou Bittencourt.

Os grupos atuam com organizações criminosas, o que, segundo o chefe da Promotoria de Combate ao Crime Organizado, o procurador André Ubaldino, necessita de uma estrutura específica. “Esses grupos foram criados por lei, mas ainda não tinham estrutura. Agora é que estão começando a atender as nossas necessidades, mas hoje ainda temos limitações”, critica.

Ubaldino explica que esses promotores são experientes e, até então não há histórico de violência contra eles. “São colegas que, de um modo geral sabem enfrentar a criminalidade e com cautela. Temos uma estrutura interna de segurança para situações emergenciais, além de parcerias com órgãos de segurança, como as polícias Militar, Civil e Federal”.

A sede da promotoria de Monte Carmelo funciona em uma casa alugada. No local há apenas um vigia terceirizado, que trabalha apenas em horário comercial. O Ministério Público, não confirmou o reforço de segurança para a equipe da promotoria.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave