Juiz aguarda laudo médico para decidir sobre situação de médica

Myriam Priscilla Rezende de Castro segue internada em maternidade, sob escola policial, por complicações decorrentes de uma gravidez; defesa solicitou prisão domiciliar para a cliente

iG Minas Gerais | Gustavo Lameira |

Médica estava morando no interior de São Paulo
FACEBOOK / REPRODUÇÃO
Médica estava morando no interior de São Paulo

O juiz da Vara de Execuções Penais de Belo Horizonte aguarda os documentos que comprovem o estado de saúde da detenta Myriam Priscilla Rezende de Castro para, então, decidir sobre o pedido de prisão domiciliar feito por seu advogado nessa segunda-feira (23).

A médica, condenada por mandar cortar o pênis do ex-noivo em 2002, segue internada sob escolta policial na maternidade Otaviano Neves. Conforme o advogado, Giovanni Caruso Toledo, sua cliente está grávida de gêmeos, em situação delicada de saúde.

Myriam era considerada foragida desde o dia 28 de janeiro, quando deixou o Complexo Penitenciário Estevão Pinto, no bairro Horto, região Leste da capital, para trabalhar e não retornou.

Maternidade

Em nota, o hospital confirmou a internação de Myrian no dia 28 de janeiro de 2015

A diretoria da Maternidade Octaviano Neves informa que a paciente Myrian Priscila de Rezende Castro foi internada neste hospital dia 28/01/2015 e que, no mesmo dia, o juiz foi informado pelo advogado da paciente sobre sua internação.

No dia 29/01/2015, o juiz da Vara de Execuções Criminais, Marcelo Augusto, solicitou informações sobre o estado da paciente e tempo previsto de internação que prontamente foi informado.

Nossa reportagem tentou contato com o advogado de Myriam e com o Maternidade, mas nenhum dos telefones atendeu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave