Promotor denuncia procuradora que fez defesa de Cristina Kirchner

Nisman denunciou e Pollicita indiciou a presidente, o chanceler, Héctor Timerman, e aliados políticos de conspirarem para proteger supostos responsáveis iranianos pelo atentado à entidade judaica Amia, em 1994

iG Minas Gerais | Folhapress |

Cristina Kirchner afia discurso para a eleição argentina deste ano
EDUARDO DI BAIA/ASSOCIATED PRESS
Cristina Kirchner afia discurso para a eleição argentina deste ano

Em mais um episódio que ilustra o atual mal-estar entre a Justiça o governo argentino, o promotor Germán Moldes decidiu denunciar, nesta terça (24), a procuradora do Tesouro, Agelina Abbona, e outros integrantes do governo por peculato.

Segundo Moldes, os funcionários teriam usado indevidamente recursos públicos quando apresentaram a defesa da presidente Cristina Kirchner e de aliados contra a acusação feita pelo promotor morto Aberto Nisman -substituído por Gerardo Pollicita.

Nisman denunciou e Pollicita indiciou a presidente, o chanceler, Héctor Timerman, e aliados políticos de conspirarem para proteger supostos responsáveis iranianos pelo atentado à entidade judaica Amia, em 1994.

Para Moldes, as funções da Procuradoria do Tesouro não são trabalhar para defender os interesses particulares dos denunciados, e, sim, do Estado argentino. O promotor afirma que a acusação de Nisman não diz respeito ao Estado, mas aos indivíduos.

"Talvez tenha sido um excesso entusiasmado derivado da devoção pessoal a algum dos implicados", afirmou Moldes em seu despacho. "A admiração incondicional pelas pessoas que detêm cargos públicos é um direito legítimo, mas diz respeito apenas ao âmbito pessoal".

ESPIÃO PROCESSADO

Em processo paralelo, o governo fez uma investida contra o ex-espião Antônio Jaime Stiuso e outros antigos dirigentes do serviço de inteligência do país.

O atual titular da secretaria, Oscar Parrilli, apresentou denúncia contra o ex-espião, hoje inimigo do governo, por contrabando e evasão fiscal.

O governo acusa Stiuso de importar equipamento em pagar impostos entre 2013 e 2014. Esses produtos não serviriam ao trabalho da secretaria.

Entre os produtos que teriam sido comprados por ordem do ex-espião há material oftalmológico, médico e até acessórios para jogos eletrônicos, segundo o governo.

Stiuso também está sendo investigado por suposto enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro em outro processo incentivado por aliados do governo.

EMPREGADA E A LISTA DE COMPRAS

A empregada de Nisman, Gladys Gallardo, deu entrevista ao canal Telefe e afirmou que a lista de compras encontrada no apartamento de Nisman -uma das possíveis provas de que o promotor não teria se matado- foi escrita por ela e não por ele.

Gladys contou que esteve na casa de Nisman na quinta-feira, antes de o promotor aparecer morto, no domingo.

Segundo ela, o promotor teria se queixado de que estava magro e lhe perguntou se ela poderia cozinhar uma torta de batata. Ela, então, escreveu a lista com o que era necessário comprar. Gladys voltaria à casa de Nisman na segunda-feira.

A doméstica afirmou que o promotor lhe telefonou na sexta, porque não a havia encontrado quando ela saiu do trabalho, e disse que faria a compra.

Apesar da informação, Gladys não acredita na hipótese de suicídio. Ela disse que Nisman lhe comunicou que estava voltando da Europa (onde passava férias com a filha) por razões de trabalho, mas que planejava retornar.

"Pessoalmente, eu não acredito que ele tenha tirado a própria vida. Era uma pessoa que se cuidava tanto, que falava do futuro, apaixonado pelas filhas... não acredito", afirmou.

Ela acrescentou que o promotor não confiava na equipe que fazia sua escolta e que eles nunca entravam no apartamento.

Gladys deu informações também sobre a relação do promotor com Diego Lagomarsino, o técnico de informática que admitiu ter emprestado a arma a Nisman.

A doméstica disse que abriu a porta para ele umas sete ou oito vezes durante o período em que trabalhou na casa de Nisman -desde outubro de 2013- e que os dois aparentavam ter uma relação de trabalho.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave