Tia de Kim Jong-Un está viva, segundo inteligência sul-coreana

"Eles dizem que está viva", disse o parlamentar governista Shin Kyoung-min durante uma reunião da comissão de inteligência do Congresso, informou a agência

iG Minas Gerais | AFP |

Líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou que o exército se prepare para o combate
KCNA / YONHAP / AFP
Líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou que o exército se prepare para o combate

A tia do líder norte-coreano Kim Jong-Un, que caiu em desgraça após a execução de seu marido por traição, segue viva, afirmaram nesta terça-feira (24) os serviços de inteligência da Coreia do Sul.

O destino de Kim Kyong-hui, de 68 anos, concentrou a atenção dos meios de comunicação depois que seu marido, Jang Song-Thaek, foi executado em 2013 após ser acusado de vários crimes, entre eles traição e corrupção.

Sua longa ausência da vida pública desencadeou especulações de que poderia estar doente e um jornal da Coreia do Sul inclusive reportou que poderia estar morta.

No entanto, o Serviço Nacional de Inteligência (NIS) da Coreia do Sul negou as especulações de que estaria morta, informou a agência de notícias Yonhap.

"Eles dizem que está viva", disse o parlamentar governista Shin Kyoung-min durante uma reunião da comissão de inteligência do Congresso, informou a agência, sem dar mais detalhes.

Kim Kyong-hui teve uma forte influência na política do país durante o mandato de seu irmão, Kim Jong-il, e durante a transição após sua morte, em 2011, quando seu filho, Kim Jong-un, chegou ao poder.

A família Kim governa o empobrecido país há seis décadas.