Base cobra fatura de Lacerda

Secretária de Governo, Luzia Ferreira, ouviu reclamações e pedidos de vereadores aliados

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

Luzia Ferreira fará reunião individual com os vereadores da base
alex de jesus - 28.1.2014
Luzia Ferreira fará reunião individual com os vereadores da base

Depois de um mês de votações conturbadas na Câmara de Belo Horizonte e de muitas reclamações sobre a prefeitura, a secretária de Governo, Luzia Ferreira (PPS), convocou a base aliada para uma reunião. A intenção era tentar convencer os vereadores ligados ao prefeito Marcio Lacerda (PSB) a desistirem da prometida “operação tartaruga” para votação de projeto como retaliação ao tratamento dado a eles pelo Executivo.  

O encontro, que durou quase duas horas e contou com a presença de 18 vereadores – número inferior à base de 30 parlamentares do prefeito –, serviu para que os vereadores colocassem a relação conflituosa entre Executivo e Legislativo. Além de reclamarem da falta de espaços na prefeitura para seus indicados, os vereadores disseram que precisam ter um entendimento completo dos projetos da prefeitura para conseguirem defender as medidas.

Ao menos um antigo pleito da base governista já será atendido de prontidão: as reuniões individuais entre prefeitura e vereadores para que apresentem reivindicações. A promessa de atender cada parlamentar foi confirmada nesta segunda por Luzia Ferreira. “Foi uma discussão coletiva sobre questões mais genéricas. Mas eu e o Marcelo Abi-Saber (secretário de Relações Institucionais) vamos ouvir individualmente cada um para saber as demandas”, confirmou após o encontro.

Segundo um vereador que participou da reunião, algumas demandas foram apresentadas pelos parlamentares, mas de forma bem mais tímida do que vem ocorrendo nos bastidores. “A relação está complicada, mas pode ser resolvida nesses encontros individuais. Talvez com o atendimento de cargos na prefeitura seja possível votar”, afirmou.

Mas no que depender da Mesa Diretora da Casa e de quase uma dezena de vereadores mais insatisfeitos com o tratamento recebido pela prefeitura – principalmente os evangélicos, que não compareceram ao encontro desta segunda – a situação pode não ser resolvida facilmente.

A mais nova polêmica dentro da Câmara é um decreto publicado antes do Carnaval pelo prefeito estabelecendo mudanças no Código de Posturas da cidade, entre elas a proibição de publicidades de LED. A direção da Casa acredita que Lacerda passou por cima do Legislativo ao tomar a decisão sem enviar as modificações para a Casa analisar.

Um projeto de resolução assinado pela Mesa será protocolado sustando os atos do prefeito. “É atribuição da Câmara isso”, garantiu o presidente da Câmara, Wellington Magalhães (PTN), que não compareceu a reunião desta segunda alegando ter “coisas mais importantes para fazer do que reunir com a Luzia”.

Do Executivo

Propostas. Nas reuniões plenárias de março deverão ser colocadas em pauta os projetos do Executivo que autorizam a venda de terrenos em Nova Lima e que criam os estacionamentos subterrâneos.

Fim da verba será votado na segunda-feira O projeto de resolução que acaba com a verba indenizatória na Câmara na forma como é hoje será colocado em pauta, em segundo turno, na próxima segunda-feira, quando voltam a ocorrer as reuniões plenárias no Legislativo da capital. Segundo o presidente da Câmara, Wellington Magalhães (PTN), o tema é prioritário e será o primeiro projeto votado em março pelos vereadores. Em contrapartida, ainda não foi formada a prometida comissão que pretende discutir e decidir o novo mecanismo que será usado pela Casa para fornecer materiais para os parlamentes. Ao ser perguntado nesta segunda sobre o tema, Magalhães disse que ainda vai marcar o primeiro encontro do grupo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave