PSDB esquenta a briga e chama Dilma de “mãe do petrolão”

Instituto ligado a tucanos diz em nota que presidente é marionete e segue script ditado por Lula

iG Minas Gerais |


Dilma Rousseff reapareceu na sexta-feira com ataques ao PSDB
ANDRE DUSEK
Dilma Rousseff reapareceu na sexta-feira com ataques ao PSDB

São Paulo e Brasília. A guerra entre PT e PSDB em torno do escândalo da Petrobras esquentou nesta segunda. Numa resposta às declarações da presidente Dilma Rousseff que, na última sexta-feira, afirmou que o período em que o país esteve sob comando dos tucanos também deveria ser alvo de investigação, o Instituto Teotônio Vilela (ITV), braço de formulação política do PSDB, divulgou texto com duros ataques à petista.  

No artigo, a presidente Dilma foi chamada de “mãe do petrolão”. O instituto afirmou ainda que “o banditismo petista há muito deixou de ser novidade” e que a presidente demonstra inépcia para defender o interesse público. “Dilma foi uma espécie de ‘mãe do petrolão’. Cabe a ela e ao PT responderem pelos 12 anos de assalto do partido à empresa (Petrobras)”.

Quando, no segundo governo Lula, começava a despontar como candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff era chamada por seu padrinho de “mãe do PAC”.

O texto diz ainda que Dilma se comporta como marionete e segue o script ditado pelo marketing e por “seu tutor” (Lula). Segundo o ITV, Dilma “definitivamente não sabe o que fazer diante da roubalheira sistêmica” que se implantou “sob seu nariz”.

Para o PSDB, a presidente “revela-se espectadora, e não protagonista de seu governo”. “Afirmar que o problema da roubalheira da Petrobras repousa no que supostamente aconteceu na empresa quase duas décadas atrás é afrontar a inteligência dos brasileiros, desrespeitar a nação e zombar das instituições”, critica o ITV.

Sem citar nomes ao falar com a imprensa, a presidente fez referência ao depoimento do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, que disse ter começado a receber propina da SBM Offshore em 1997 (governo FHC). A declaração da presidente gerou revolta dos tucanos, principalmente pelo fato de ela ter dito que, “se em 1996 e 1997 (era FHC) tivessem investigado”, não haveria caso de funcionários praticando corrupção por tanto tempo.

CPI. Por outro lado, o PT se mostrou disposto a levar as declarações da presidente Dilma à investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara sobre a Petrobras. A bancada do PT prepara um pedido para que a CPI também alcance o governo Fernando Henrique Cardoso. A comissão, que começa a trabalhar na próxima quinta-feira, foi criada para analisar denúncias de corrupção na empresa de 2005 a 2015.

O período, segundo a oposição, leva em consideração a polêmica compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, que em 2014 colocou a estatal no centro de uma crise. “Temos que fazer uma investigação ampla, geral e irrestrita. Doa a quem doer”, afirmou o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE). O líder do PT, Sibá Machado (AC), reforçou o discurso. “Há um depoimento citando irregularidades da estatal no governo tucano, então, não existem motivos para não se investigar”.

Presidência O PMDB decidiu nesta segunda que o deputado Hugo Motta (PB) será o presidente da CPI da Petrobras, cuja instalação está prevista para quinta-feira. A estratégia do partido foi colocar alguém que ao mesmo tempo fosse fiel à sigla e independente do Planalto. “Queremos a presidência para ditar o ritmo da CPI e que ele seja célere porque interessa à sociedade”, afirmou o líder da bancada, Leonardo Picciani (RJ).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave