PM do Rio expulsa 43 soldados acusados de recebimento de propina

A corregedoria constatou a existência de fortes indícios que apontam para o cometimento de práticas criminosas e “graves transgressões” disciplinares

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

A Polícia Militar do Rio de Janeiro (PM-RJ) expulsou 43 soldados acusados de crimes de concussão – exigência de vantagem indevida, diretamente ou indiretamente, em razão da função pública – e extorsão a comerciantes, empresários e ambulantes na região de Bangu e Honório Gurgel, na zona oeste da capital fluminense. Eles foram investigados na Operação Compadre, deflagrada em 2013.

A Corregedoria Interna da Polícia Militar concluiu seis Procedimentos Administrativos Disciplinares (PADs) e expulsou os envolvidos no esquema. A corregedoria constatou a existência de fortes indícios que apontam para o cometimento de práticas criminosas e “graves transgressões” disciplinares. Ainda, segundo o órgão, eles prejudicavam o policiamento ostensivo na área do Batalhão de Bangu, deixando de servir à população e ignorando o combate ao transporte irregular de vans, kombis e mototaxistas.

A Operação Compadre foi desencadeada em 2013 e contou com a participação de agentes da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança e da Corregedoria da Polícia Militar, além do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Ministério Público. Na ocasião, foram expedidos 78 mandados de prisão, 53 deles contra policiais militares.

A Polícia Militar informou, em nota,  que a alegação de defesa dos acusados é de responsabilidade de cada um dos envolvidos. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave