Ministro defende o fim do fator previdenciário

Carlos Gabas, no comando da pasta da Previdência Social, afirmou que presidente Dilma deve discutir reformulação do fator com movimentos sindicais

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ministro da Previdência disse que não vai recorrer da decisão do STF
Valter Campanato/ABr
Ministro da Previdência disse que não vai recorrer da decisão do STF

A presidente Dilma Rousseff deve iniciar conversas com movimentos sindicais para entrar em acordo sobre formas de acabar com fator previdenciário. É o que diz o ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, em entrevista ao jornal 'Estado de S. Paulo'.

Gabas considera a fórmula usada para calcular a aposentadoria dos brasileiros como um atraso para o sistema previdenciário. Segundo o ministro, o cálculo precisa ser atualizado, pois não cumpre o papel pretendido.

A proposta dele é que seja usada a fórmula 85/95, que considera a soma de idade com o tempo de serviço. Gabas argumenta que a ideia ainda é inicial precisa ser discutida.

Ainda em entrevista ao jornal paulista, o ministro afirma que as centrais sindicais são a favor do novo cálculo. E prevê que o sistema brasileiro não tenha condições de suportar os gastos gerados com a idade média atual. Com isso, é necessário aumentar um pouco o tempo para aposentadoria.

O fator previdenciário foi criado durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, no ano de 1999. A fórmula usada até hoje leva em conta tempo de contribuição, idade ao se aposentar e expectativa de vida. A idade média de aposentadoria atual é de 54 anos.  

Leia tudo sobre: carlos gabaseconomiafator previdenciárioinssaposentadoria