“Quem mais sofre na crise são os prefeitos”

Antônio Andrada - Presidente da AMM

iG Minas Gerais |

“Quem mais sofre na crise são os prefeitos”
ALEX DE JESUS/O TEMPO
“Quem mais sofre na crise são os prefeitos”

Quando você assumiu a AMM, afirmou que os municípios estavam em dificuldade financeira e com problemas para executar serviços públicos. Qual a situação que o novo presidente vai encontrar?

Uma situação pior do que a que encontrei. A presidente Dilma Rousseff (PT) está fazendo enxugamento nas contas do governo e cortando programas, e a situação econômica do país é complicada. Quem mais sofre com isso são os prefeitos, que precisam dar primeiro as respostas aos cidadãos. Os municípios estão ficando em situação cada vez mais difícil. O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de janeiro deste ano foi 7% menor do que o de janeiro do ano passado, que já tinha caído. O próximo presidente da AMM vai precisar encarar com coragem este cenário.

Como a AMM vai se posicionar frente aos problemas econômicos do país? A crise, que se torna cada vez mais evidente nas cidades, é uma oportunidade para fortalecer ainda mais a bandeira da AMM, que é o fortalecimento dos municípios e a descentralização dos recursos do governo federal. É um momento para aprofundarmos as nossas propostas municipalistas.

O governador Fernando Pimentel (PT) prometeu regionalizar a gestão no Estado. Isso interfere nas ações da AMM? A regionalização também é uma bandeira da AMM. Nós buscamos fortalecer e organizar os municípios, mas respeitando a vocação individual de cada região e cidade. Quando o governo propõe se abrir para o interior, a tendência é que as cidades ganhem mais importância como entes da federação. Esperamos que isso aconteça o mais rápido possível. (GR)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave