Aliados podem disputar AMM

PMDB e PT já começam a se articular e buscam o apoio do governador Fernando Pimentel

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Gilmar Machado diz que é cedo para tratar da disputa da AMM
beto oliveira/divulgação
Gilmar Machado diz que é cedo para tratar da disputa da AMM

A eleição da Associação Mineira de Municípios (AMM) pode deflagrar o primeiro conflito entre PMDB e PT em Minas Gerais após as duas siglas vencerem juntas a eleição estadual de 2014. A entidade, que hoje é presidida por Antônio Andrada (PSDB), tem como possíveis candidatos o prefeito de Pará de Minas, na região Central, Antônio Júlio (PMDB), e o prefeito de Uberlândia, no Triângulo, Gilmar Machado (PT).

A vitória de Fernando Pimentel (PT) no Estado não inverteu a lógica partidária apenas no Executivo estadual. A AMM, depois de 12 anos escolhendo para a sua presidência prefeitos alinhados com os governos tucanos em Minas, também vai passar por uma mudança em seu comando, apesar da entidade se posicionar institucionalmente como apartidária.

A disputa pelo comando da associação, que representa cerca de 700 dos 853 municípios do Estado, pode ter o enfrentamento entre PMDB e PT, que são aliados do Palácio Tiradentes. A entidade ainda deve ganhar mais força se Fernando Pimentel cumprir uma das principais promessas da corrida eleitoral do ano passado: a regionalização da administração do Estado.

O prefeito de Pará de Minas, Antônio Júlio (PMDB), no entanto, acredita que não vai ter adversário para chegar ao cargo. “Se eu for candidato, vou construir um consenso. Não podemos ter disputa para concorrer à AMM. Estou conversando com prefeitos e vou conversar com Gilmar Machado para ter o apoio dele”, explicou Júlio, que ainda tem do seu lado o vice-governador de Minas, Antônio Andrade (PMDB).

Há dois anos, o peemedebista sinalizou sua candidatura, mas depois de acordo com o prefeito de Barbacena, Antônio Andrada, que foi eleito, abriu mão da disputa.

Na época, a tratativa previa que o tucano apoiasse Júlio no próximo pleito, o que deve se confirmar. “Antônio Júlio tem o perfil que a AMM precisa. Se a candidatura dele for oficializada, não terei problema nenhum em apoiá-lo e em abrir mão do meu direito à reeleição. O ideal seria que ele concorresse sozinho, mas se Gilmar Machado quiser se candidatar, tudo bem. Faz parte do jogo democrático”, explicou.

Pelas beiradas. Embora Antônio Júlio seja o favorito para gerir a associação, o petista Gilmar Machado cogita disputar o posto. Oficialmente e por meio de assessoria, o prefeito de Uberlândia disse que é “cedo para tratar do tema”. No entanto, o presidente do PT da cidade, Fernando Pessoa, acredita que “as coisas caminham para a candidatura”. “Nosso grupo político deseja que Machado seja candidato, e tudo caminha para que ele concorra ao cargo. Ele está conversando com a direção estadual e vamos aguardar”, destacou.

Condições para concorrer

Edital. Na semana passada, após o fim do Carnaval, a entidade publicou o edital de convocação para a eleição interna. Aqueles que quiserem se candidatar deverão registrar seus nomes. O pleito acontece no próximo dia 31 de março. Regra. Para concorrer ao cargo, o prefeito deve estar em exercício. O escolhido tem direito de ficar no posto por dois anos e pode disputar a reeleição. O município do prefeito também deve estar em dia com as taxas filiação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave