PT finaliza auditoria sobre rivais

Contratos de grandes obras nos governos do PSDB em Minas foram analisados por controladoria

iG Minas Gerais |

Tempo. Aliados em 2008 para elegerem Marcio Lacerda em BH, Pimentel e Aécio estão em campos opostos
CHARLES SILVA DUARTE / O TEMPO
Tempo. Aliados em 2008 para elegerem Marcio Lacerda em BH, Pimentel e Aécio estão em campos opostos

Brasília. Principal laboratório político do PT para tentar desconstruir a liderança política do adversário Aécio Neves (PSDB-MG), no próximo mês Minas Gerais será palco de um evento político para atingir o tucano. Em fase de conclusão, serão divulgados os resultados da auditoria que a Controladoria Geral do Estado está fazendo nos contratos e aditivos de grandes obras dos 12 anos de gestão de Aécio e do agora senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

A cargo do controlador André Spinelli, estão sendo auditados contratos das obras de construção da Cidade Administrativa, da reforma da arena Mineirão, da Linha Verde que liga Belo Horizonte ao aeroporto de Confins, obras do aeroporto de Cláudio, destinação de verbas de publicidade para a Rádio Arco-Íris – de propriedade da família de Aécio – e obras rodoviárias.

Aécio e o presidente do PSDB de Minas, deputado Marcus Pestana, dizem que o grupo de Pimentel repetirá “factoides” divulgados nos últimos anos, para tentar desviar o foco das dificuldades que já enfrenta.

“Estão fazendo tudo para criar um imagem de herança maldita para atingir o Aécio. O secretário de Planejamento fez um estardalhaço que só tinha R$ 700 mil em caixa para pagar uma folha de R$ 2 bilhões. Nossa bancada deu os números das contas e quanto tinha em cada uma. No dia seguinte, pagaram dezembro e o 13º. Nos deram a brecha para mostrar a herança que deixamos”, disse Pestana.

Nas cordas. Principal nome da oposição para disputar a Presidência em 2018, Aécio Neves diz que o governador Fernando Pimentel “prometeu o mundo” para se eleger e não terá dinheiro para arcar com os custos de medidas como o novo piso salarial dos professores. Os tucanos dizem que depois da divulgação da auditoria, que visa atingir os governos do PSDB, o governador petista terá que arcar com o desgaste das dificuldades de gestão.

“Me ajudar esses ataques não vão. Mas o Pimentel precisa é cuidar do governo dele. Daqui a seis meses ele vai estar nas cordas. Está todo mundo enxugando gastos e ele cria mais cinco secretarias. E a equipe que montou é muito ruim”, critica Aécio.

Aécio critica a equipe do petista, que teria 11 secretários que responderam ou respondem por diversos crimes, inclusive corrupção e improbidade administrativa. Como chefe da Casa Civil, Marco Antônio Rezende, réu junto com o próprio Pimentel por improbidade administrativa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave