Empresária de Schumacher ajudou ida de Vettel para Ferrari

Sabine Kehm foi acionada logo que que Fernando Alonso afirmou que deixaria o time.

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Alemão fez seu primeiro treino com a nova equipe
Alemão fez seu primeiro treino com a nova equipe

A ida de Sebastian Vettel para a Ferrari contou com a ajuda da empresária de Michael Schumacher, Sabine Kehm. A informação foi revelada pelo chefe da escuderia italiana, Maurizio Arrivabene, durante entrevista concedida no intervalo dos testes da pré-temporada que as equipes da F-1 realizam até este domingo (22) em Barcelona.

"No momento em que soubemos que Fernando [Alonso] iria mesmo deixar o time, obviamente que o nome de Sebastian surgiu. Como conhecia a Sabine por conta dos anos que ela trabalhou com Michael na Ferrari, liguei para ela para saber qual era a situação [contratual] dele, pois eles são próximos", revelou o dirigente italiano.

"Sabine ligou para Sebastian e ele fez várias perguntas sobre o time, pois tinha muitas dúvidas, queria saber como era o esquema de trabalho, estas coisas. Ela descreveu a atmosfera da equipe para ele do conhecimento que tinha da época de Michael."

Depois das conversas, foi o próprio presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, quem ligou para o piloto alemão para concretizar sua transferência da Red Bull para o time de Maranello. E, apesar do anúncio só ter sido oficializado durante o final de semana do GP de Abu Dhabi, no fim de novembro, a negociação aconteceu após o GP da Rússia, no início de outubro.

Vettel foi apenas uma das peças que a Ferrari trocou nos últimos meses na tentativa de colocar o time novamente no caminho das vitórias. O time enfrenta um jejum de quase dois anos sem vitórias -o último triunfo foi no GP da Espanha de 2013. No ano passado, completou pela primeira vez desde 1993, uma temporada da F-1 sem ter ido ao menos uma vez ao lugar mais alto do pódio.

As mudanças aconteceram desde a chegada de Marchionne para substituir Luca di Montezemolo, como a de Arrivabene para o posto que foi ocupado em 2014 por Marco Mattiacci passando pela saída de Luca Marmorini do comando do departamento de motores e eletrônica, entre outras novidades.

"Passo a passo estamos tentando mudar a situação, mas sabemos que não é fácil. Estamos tentado deixar todos confortáveis para executar seu trabalho da melhor maneira possível", afirmou Arrivabene, que disse ainda que o objetivo do time para a temporada de 2015, que começa no próximo dia 15 de março, é vencer duas corridas.

"Se ganharmos três vai ser uma mega vitória. E se ganharmos quatro vou correndo a pé daqui a Maranello", brincou o italiano.

Leia tudo sobre: F1FerrariVettel