Com Guerrero, Corinthians encara Ituano no domingo

O contrato do jogador termina em julho e a diretoria do Timão avalia a possibilidade de um novo acordo. Alta do dólar é um dos entraves.

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Guerrero marcou novamente e deu a vitória ao Timão
CORINTHIANS/DIVULGAÇÃO
Guerrero marcou novamente e deu a vitória ao Timão

Houve um tempo em que era impensável ver o Corinthians sem Guerrero. No início de 2015, o peruano continua importante, mas o tempo mostrou que o time tem opções ao centroavante que deve ser titular no domingo (22), às 16h, contra o Ituano, em Itu, pelo Paulista.

'O dólar subiu muito. Precisamos conversar mais. A negociação vai recomeçar porque acabei de assumir o cargo', disse o presidente Roberto de Andrade após a vitória sobre o São Paulo, na quarta (18). Um jogo em que o Corinthians teve grande atuação, e Guerrero assistiu de longe. Estava suspenso.

Para acertar um novo acordo (o atual termina em julho), os representantes do jogador pedem salário de R$ 500 mil mensais. O grande entrave são as luvas de US$ 7 milhões. Em 1º de dezembro de 2014, este valor representava R$ 17,9 milhões. Pela cotação do Banco Central na sexta-feira (20), são R$ 20 milhões.

'Não vou adiantar nada porque quero ver o que os representantes do atleta têm a dizer', completou Andrade.

Guerrero ficou no meio de uma guerra de bastidores entre Bruno Paiva, um de seus agentes, e o ex-presidente Mario Gobbi. O dirigente se recusou a sancionar o investimento para contratar Dudu, também agenciado por Paiva. Este publicou uma nota afirmando que o Corinthians estava se apequenando.

O último ato do mandato de Gobbi foi a aquisição de Vágner Love, um atacante para concorrer com Guerrero.

Não ajuda o fato de o peruano ter deixado o time em maior dificuldade no momento mais importante do começo deste ano. Ele foi expulso no primeiro tempo diante do Once Caldas, na primeira fase da Libertadores. O que causou o gancho de três partidas imposto pela Conmebol.

Quando enfrentou o São Paulo, Tite optou por Danilo, um meia, no ataque. Ficou encarregado do papel que seria de Guerrero. Abrir espaços, puxar a marcação e fazer o pivô. Foi a melhor atuação do Corinthians em 2015.

'A gente vai ficando mais velho e se adapta a diferentes funções. Quanto menos tiver de correr, melhor', brinca Danilo, 35, que pode voltar para o banco contra o Ituano, mas é candidato a jogar contra o San Lorenzo, em 4 de março, pela Libertadores.

Será a última partida da suspensão de Guerrero.

ITUANO Fábio; Dick, Léo, Naylhor e Peri; Jonatan Lima, Walfrido, Cristian e Clayson; Ricardinho e Misael. Técnico: Tarcísio Pugliese

CORINTHIANS Cássio; Edílson, Gil, Felipe e Uendel; Ralf, Bruno Henrique, Cristian e Petros; Mendoza (Malcom) e Guerrero. Técnico: Tite

Juiz: Márcio Henrique de Gois Local: estádio Novelli Junior, em Itu, às 16h de amanhã

Leia tudo sobre: PaulistaItuanoGuerreroCorinthians