Restrições inibem o uso no dia a dia

A BHTrans informou que há um processo licitatório para implantação de 2.500 paraciclos, nos próximos três anos

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi |

A impossibilidade de levar a bicicleta no transporte público no horário comercial também é alvo de reclamações dos ciclistas. No metrô, por exemplo, bikes só são aceitas de segunda a sexta-feira, a partir das 20h30, e nos finais de semana. “A regra atual reforça o ciclismo como hobbie e não como meio de transporte”, critica o estudante Rafael Duarte Guimarães, 21.  

Voluntário da BH em Ciclo, Vinícius Mundim, 32, defende que a disponibilização de bicicletários nas estações é uma boa solução de integração de modais de transporte. “A BHTrans tem verba para fazer 150 km de ciclovia, e elas, de alguma forma, serão usadas para se chegar em alguma estação de ônibus ou metrô. Mas não adianta ter a ciclovia que leve até lá se não vai ter onde deixar a bicicleta”, diz.

A BHTrans informou que há um processo licitatório para implantação de 2.500 paraciclos, nos próximos três anos. Já a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) afirmou que conta com 105 vagas, em três estações, e que “estuda uma possível ampliação dos horários de embarque”, sem data para implementação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave