Na simplicidade das 6 cordas

Violonista Seu Mozart completa, hoje, 92 anos e recebe homenagem com estreia do documentário “Simplicidade”

iG Minas Gerais | Fábio corrêa |

História. Mozart integrou o grupo de choro da Rádio Guarani e acompanhou o músico Waldir Silva
AmandaGomes
História. Mozart integrou o grupo de choro da Rádio Guarani e acompanhou o músico Waldir Silva

São mais de nove décadas que fazem de Mozart Secundino de Oliveira um arquivo vivo da história do choro de Belo Horizonte. Foi aqui que o violonista, mais conhecido como Seu Mozart, chegou, aos 11 anos, vindo do distrito de Bandeirinha, no município de Betim. Trabalhou como carregador de compras no Mercado Central, vendeu doces, entregou marmitas – mas a vocação estava mesmo na música. Já por volta dos 25 anos, empunhando o cavaquinho, integrava grupos que tocavam em bares e festas de família, nas vilas da capital.

“Numa dessas, apareceu um cidadão com um violão e aquilo me emocionou”, conta Mozart, que lhe perguntou onde ele havia aprendido a tocar. Anotou o nome do mestre Bento de Oliveira – e três meses de aula bastaram para que, em pouco tempo, as seis cordas se tornassem a sua casa. A partir dali, entrou para o grupo de choro da Rádio Guarani e conheceu o cavaquinista Waldir Silva, cuja banda viria completar.

Hoje, Seu Mozart chega a invejáveis 92 anos de idade. E, para comemorar a data, o Cine Sesc Palladium exibe, às 19h30, a estreia do documentário “Simplicidade”, que homenageia o violonista. Dirigido por Amanda Gomes e Daniela Meira, o filme retrata o dia a dia de Mozart, que continua, mais que firme, empunhando o seis cordas pelas rodas de choro da capital mineira.

Do Mozart, com fotos do arquivo pessoal, passagens pelo Mercado Central, onde ele trabalhou, e imagens da fundação do Clube do Choro de Belo Horizonte, em 1984”, destaca.“Conhecemos o Mozart tocando na noite e, à medida que fomos ficando amigos, resolvemos fazer o documentário para mostrar a história de vida dele”, conta a diretora Daniela Meira. As filmagens, que ocorreram de 2009 a 2011, renderam 24 horas de material, tanto em apresentações quanto nos momentos de intimidade, com a família. “É um apanhado da vida

Referência. “Um dia, estava tocando n’A Casa e alguém me perguntou o meu endereço”, relembra Mozart. “Passou um tempo e o pessoal apareceu na minha residência, dizendo que queriam me fazer uma pergunta. Pela gravidade do tom, achei que me queriam como testemunha de casamento”, brinca o veterano. “Quando me falaram do filme, fiquei surpreendido, pois achei que não tinha bagagem para isso”, evoca, trazendo à tona a simplicidade que dá nome ao documentário.

“Simplicidade” não é, portanto, apenas o título do choro favorito de Mozart – de autoria de Jacob do Bandolim. O adjetivo é também uma síntese da personalidade do violonista cujo estilo no seis cordas é uma referência em Belo Horizonte.

“O Seu Mozart é uma grande escola”, pontua o violonista Thiago Delegado. “O dueto de baixaria que ele faz, acompanhando o sete cordas, é algo que não se escuta em outros lugares. Além disso, é um músico super aberto à turma nova. É, acima de tudo, uma lição de humildade”, enaltece Delegado, que prepara uma homenagem ao mestre em seu novo disco, que deve sair em maio: a composição “Sarau pro Seu Mozart”.

De dar inveja aos garotos, a energia do veterano continua a todo vapor. Quase religiosamente, Seu Mozart participa das rodas de choro que agitam as quintas-feiras do Bar do Salomão, no bairro Serra. “Enquanto Deus me permitir, eu vou tocando”, diz Mozart, que, ainda sem ter assistido ao filme, garante que estará presente nas três apresentações de “Simplicidade”.

Agenda

O QUÊ. Lançamento do documentário “Simplicidade – Mozart Secundino de Oliveira”

QUANDO. Hoje, às 19h30, e amanhã, às 17h e 19h

ONDE. Cine Sesc Palladium (avenida Augusto de Lima, 420, Centro)

QUANTO. Entrada franca, com distribuição de ingressos duas horas antes de cada sessão

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave