Decisão sobre líder em ação contra a Petrobras nos EUA fica para março

Cinco processos contra estatal brasileira foram protocoladas na corte desde dezembro - por ordem do juiz, todas foram unificadas em uma

iG Minas Gerais | Folhapress |

Após mais de três horas de audiência, o juiz Jed Rakoff, responsável pela ação coletiva contra a Petrobras na Corte de Nova York, adiou para o início de março a decisão sobre quem será o investidor a liderar o processo.

Cinco ações contra a estatal brasileira foram protocoladas na corte desde dezembro - por ordem do juiz, todas foram unificadas em uma.

Nove petições de investidores interessados em representar todos os acionistas na ação foram apresentadas ao final do prazo, em 6 de fevereiro. Quatro, no entanto, foram retiradas antes da sessão desta sexta-feira (20), que contou com a presença de todos os interessados restantes.

O juiz deve decidir quem, entre os candidatos, têm o maior interesse financeiro no processo. A audiência desta sexta teve como foco três petições, feitas pelos acionistas com as maiores perdas: a gestora Skagen, da Noruega, e o Danske Bank, da Dinamarca, com até US$ 267 milhões de prejuízo; um grupo de fundos de pensão de servidores dos Estados de Ohio, Idaho e do Havaí, até US$ 127 milhões; e o USS (Universities Superannuation Scheme), fundo de pensão do Reino Unido, com perdas de US$ 84 milhões.

A brasileira Daniela Silva, moradora de Miami e que teve perdas de US$ 266 mil com investimentos na Petrobras, pediu para se juntar ao líder da ação, após a definição, para representar os investidores individuais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave