Juiz manda soltar réu da Lava Jato que era auxiliar de Youssef

Defesa de João Procópio apresentou o compromisso de encerrar suas contas no exterior e auxiliar na repatriação dos recursos, quando for possível; após proposta juiz decidiu rever a prisão

iG Minas Gerais | Folhapress |

A Justiça Federal do Paraná mandou soltar, no início da noite desta sexta (20), um dos réus da Lava Jato, João Procópio de Almeida Prado, que trabalhava para o doleiro Alberto Youssef.

Preso desde julho do ano passado, João Procópio estava no Complexo Médico Penal, integrante do sistema penitenciário do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

Ele é réu em duas ações oriundas da operação que investiga um esquema de corrupção na Petrobras, sob acusação de ser responsável pelas contas no exterior de Youssef. Em algumas delas, aparecia como beneficiário.

O juiz Sergio Moro havia determinado sua prisão pelo risco de que ele, como um "importante subordinado de Youssef", continuasse a comandar as operações de lavagem de dinheiro.

Mais recentemente, porém, a defesa de João Procópio apresentou o compromisso de encerrar suas contas no exterior e auxiliar na repatriação dos recursos, quando for possível. A proposta foi feita no último dia 12.

Diante da "louvável nova atitude da defesa", Moro decidiu rever a prisão, especialmente por causa do papel de subordinado que o réu tinha no esquema.

"As contas no exterior pertenciam e eram controladas, de fato, por Alberto Youssef", declarou o juiz na decisão. "Considero também cumulativamente a elevada idade do acusado, 68 anos, e especialmente que, tendo ele atuado de maneira subordinada, os riscos em sua colocação em liberdade são bem menores do que os que envolvem os principais personagens do suposto esquema criminoso."

Moro ainda ressaltou que a decisão da defesa não equivale a uma colaboração premiada, mas é apenas um compromisso assumido diante da Justiça. O alvará de soltura foi emitido às 18h30 desta sexta-feira (20).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave