Roma indignada por danos à fonte Bernini causados por torcedores

Os danos causados ao monumento foram provocados pelo lançamento de garrafas e objetos contra sua delicada estrutura de mármore

iG Minas Gerais |

Confronto entre torcedores do Feyenoord e polícia italiana deixou rastro de destruição em Roma
FILIPPO MONTEFORTE / AFP
Confronto entre torcedores do Feyenoord e polícia italiana deixou rastro de destruição em Roma

As autoridades romanas manifestaram, nesta sexta-feira, sua indignação com os graves danos causados na véspera à célebre fonte barroca do mestre Bernini por torcedores holandeses do clube de futebol Feyenoord Rotterdam.

"Tratam-se de 110 marcas, arranhões, danos permanentes", informou a assessora de Cultura da capital, Giovanna Marinelli, após a inspeção feita nesta sexta-feira por especialistas em restauração.

A joia barroca, denominada Barcaza, que fica na praça de Espanha, no centro da capital italiana, aos pés da escadaria de Trinità dei Monti, obra do célebre mestre Pietro Bernini entre 1627 e 1629, sofreu vários danos durante o confronto entre os torcedores e a polícia.

Os danos causados ao monumento foram provocados pelo lançamento de garrafas e objetos contra sua delicada estrutura de mármore, submetida no ano passado a uma cara restauração de 200.000 euros.  

"Estas pessoas, provavelmente por sua ignorância, não têm sequer as condições psicológicas, nem culturais para se dar conta de que estavam destruindo uma das fontes de um dos maiores artistas da humanidade", lamentou o prefeito de Roma, Ignazio Marino.

Seis torcedores holandeses estão detidos na prisão romana de Regina Coeli após os confrontos, acusados de agressão a funcionários públicos.

O prefeito, que manteve nesta sexta-feira uma "longa conversa" com o embaixador holandês, informou em coletiva de imprensa que a Holanda não vai pagar pelos danos.

"Estamos de acordo com o prefeito com o princípio de quem quebra, paga. É preciso encontrar os culpados (...) Mas não se pode dizer que o Estado dos Países Baixos é culpado", declarou, em Roma, o porta-voz da embaixada, Aart Heering.

De Haia, o governo holandês garantiu às autoridades italianas sua "cooperação" e seu "compromisso" para "castigar" os torcedores do Feyenoord Rotterdam, o que é insuficiente para os romanos.

Durante dois dias, os torcedores da equipe holandesa, que empatou na quinta-feira contra o clube Roma, protagonizaram confrontos com as forças de segurança. No total, 28 foram detidos.

Os comerciantes da região denunciaram perdas de três milhões de euros, e o ministro de Cultura, Dario Franceschini, pediu uma "punição exemplar".

"É um escândalo, absurdo que tenham danificado um monumento tão belo", disse o cantor Gianni Morandi, enquanto passeava pela praça, depois que os serviços de limpeza retiraram do local plásticos, lixo e garrafas de vidro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave