Pezão defende Anderson Silva: 'não pode ser julgado por um erro'

O brasileiro lutador do pesos-pesados também afirmou que o doping de Spider ainda não está 100% provado e citou caso de Diego Maradona, que teve problemas com drogas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Duelo entre Antônio Pezão e Cain Velásquez valerá o título dos pesos-pesados
Divulgação/Site Oficial
Duelo entre Antônio Pezão e Cain Velásquez valerá o título dos pesos-pesados

O doping de Anderson Silva tem ganhado repercussão mundial e outros lutadores do UFC também vem acompanhando o caso. O brasileiro Antônio Pezão, que no próximo domingo (22/02), vai encarar o norte-americano Frank Mir, na disputa dos pesos-pesados, em Porto Alegre, é um dos atletas que saiu em defesa do colega do MMA. Para ele, Spider tem sido muito criticado, injustamente.

“Eu não tiro o direito das pessoas estarem decepcionadas, até mesmo os fãs, que fazem a imagem do atleta. Infelizmente aconteceu isso tudo, essa reviravolta. Ainda não está 100% provado, não tem punição feita, tem muita coisa que ainda virá. O Anderson Silva é um cara que todo mundo conhece, que botou o nome do Brasil lá em cima. É um ser humano como outro qualquer, tem o direito de errar, não pode ser julgado por um erro. Estou acompanhando nas redes sociais muita gente crucificando, falando mal. Acho que ninguém pode esquecer do que o atleta fez. Às vezes, o brasileiro tem esse mal de condenar algum profissional por um erro”, afirmou o lutador, após os treinos desta sexta-feira, na capital gaúcha.

Para defender o colega, Pezão citou o caso do ex-jogador argentino, Diego Maradona, que já se envolveu com drogas e diversas polêmicas. Apesar dos problemas de Maradona, Pezão afirma que o ídolo dos 'hermanos' continua sendo amado na Argentina, pelos seus feitos históricos.  

“Uma pessoa que é amada, glorificada e, se falar mal dele em seu país, dá briga, é o Maradona, na Argentina. A história dele fora dos campos não é muito bacana, mas todo mundo o ama e o idolatra lá, porque levantou o nome do esporte. As pessoas não podem pré julgar (sic), falar mal”, completou.

Pezão ainda acredita que Spider não tenha feito a opção de usar os esteroides que aparecem nos exames e que são proibidos pela Agência Mundial Andoping (WADA) e pela Comissão Atlética de Nevada (NSAC). 

“O Anderson é um ser humano como outro qualquer. Creio que o erro não tenha sido dele. Tem mais de 17 anos de profissão, nunca teve problema com isso antes e não acho que seria agora que cometeria a burrice de fazer isso com o rigor que há nos exames antidoping”, concluiu.

O combate entre Pezão e Mir é o principal do card do domingo (22), em Porto Alegre. 

Leia tudo sobre: pezaoanderson silvammafrank mirantidopingufc