Em nota, PSDB repudia "escalada antidemocrática" na Venezuela

Ledezma foi detido pelo Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sbin) na noite de quinta-feira (19) em seu gabinete

iG Minas Gerais | Folhapress |

Aecio Neves, presidential candidate of the Brazilian Social Democracy Party, PSDB, looks on during a presidential debate in Sao Paulo, Brazil, Sunday, Oct. 19, 2014. Neves will face Brazil's President Dilma Rousseff, presidential candidate for re-election of the Workers Party, PT, in a presidential runoff on Oct. 26. (AP Photo/Andre Penner)
AP
Aecio Neves, presidential candidate of the Brazilian Social Democracy Party, PSDB, looks on during a presidential debate in Sao Paulo, Brazil, Sunday, Oct. 19, 2014. Neves will face Brazil's President Dilma Rousseff, presidential candidate for re-election of the Workers Party, PT, in a presidential runoff on Oct. 26. (AP Photo/Andre Penner)

O PSDB condenou nesta sexta-feira (20) a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, no que o partido chamou de "escalada antidemocrática na Venezuela".

Ledezma foi detido pelo Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sbin) na noite de quinta-feira (19) em seu gabinete. Ele é acusado pelo governo venezuelano de participar do planejamento de um golpe contra o presidente Nicolás Maduro.

Após o anúncio da prisão de Ledezma, o Ministério Público da Venezuela afirmou que denunciará o opositor por "conspiração para organizar e executar atos violentos".

A nota do PSDB, na íntegra:

"PSDB repudia escalada antidemocrática do regime Maduro na Venezuela É com indignação e crescente preocupação que assistimos à escalada de violência praticada pelo governo da Venezuela contra aqueles que divergem democraticamente do regime do presidente Nicolás Maduro. Sob pretextos vagos, opositores têm sido detidos ou mesmo sequestrados, como aconteceu ontem com o prefeito da área metropolitana de Caracas, Antonio Ledezma - preso mediante coação e sem qualquer ordem judicial. Abusos já vitimaram antes Leopoldo López e a deputada María Corina Machado. Percebe-se evidente a radicalização do regime bolivariano, em confronto com os valores democráticos professados pelo povo venezuelano, amigo do Brasil. Multiplicam-se os excessos e as arbitrariedades; fenecem as liberdades e os direitos. Consideramos inconcebível que um país-membro do Mercosul continue a desrespeitar as cláusulas democráticas que regem o bloco sem que os demais integrantes, como é o caso do Brasil, sequer se pronunciem a respeito. O Partido da Social Democracia Brasileira manifesta sua solidariedade aos venezuelanos perseguidos pelo governo de Nicolás Maduro, repudia o ataque perpetrado às liberdades civis e políticas e cobra do governo do Brasil a imediata condenação às atitudes antidemocráticas cometidas pelo regime bolivariano.

Senador Aécio Neves - presidente nacional do PSDB Senador Cássio Cunha Lima - líder do PSDB no Senado Deputado Carlos Sampaio - líder do PSDB na Câmara dos Deputados"

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave