Novo líder do PT na Câmara vê mudanças

Em entrevista exclusiva ao jornal O Tempo Contagem, Rodinei Ferreira esclareceu polêmicas sobre o partido

iG Minas Gerais |

RODINEI FERREIRA
PT/Divulgacao
RODINEI FERREIRA

Por que o Partido dos Trabalhadores mudou a liderança da bancada e o senhor assumiu?

Toda terça-feira a nossa bancada se reune na Câmara para definir rumos, posições, etc. Coloquei o meu nome para exercer a liderança da nossa bancada, e foi aceito pelos meus companheiros. Me senti lisonjeado por ser escolhido, pois somos a maior bancada da Casa com quatro vereadores.

Quais são as suas perspectivas para este ano que se inicia?

Sou otimista por convicção. Espero que o Brasil consiga superar a crise, que a economia volte a crescer, que setores como a indústria, comércio e serviços continuem gerando os empregos dos quais a população tanto quer e precisa. Acredito na força do nosso país e na capacidade dos brasileiros para superar desafios. Também tenho a esperança de que neste ano diversos investimentos do governo da presidente Dilma comecem a trazer benefícios para Contagem. Muitas obras iniciadas pela ex-prefeita Marília Campos ainda não foram concluídas. O Centro Materno Infantil a UPA JK, dentre outros projetos de educação e saneamento são exemplos de obras que devem ser concluídas neste ano.

Quais são os projetos prioritários do PT para 2015?

Não posso responder pelo companheiro José de Souza, pois ele é o presidente do PT de Contagem, mas penso que as discussões sobre os rumos e decisões a serem tomadas devem estar em sintonia com os anseios da população. Também acredito que o fortalecimento e a consolidação do partido devem passam por uma ampla discussão e consulta à militância.

O PT está dividido, após a composição com o governo municipal?

A maioria do diretório do partido decidiu por aceitar o convite para participar do governo municipal. Minha posição sempre foi contrária, pois acredito que o PT deveria manter sua posição de independência e continuar a defender os interesses da população de Contagem, mas foi uma decisão do partido, e eu acato a decisão da maioria. Isso é democracia interna.

Como fica sua relação com o governo municipal e a do partido como um todo?

Sempre tive uma relação respeitosa com o governo municipal. Tento fazer o meu trabalho parlamentar pensando no melhor para as pessoas. Vou manter minha posição de independência, e isso me deixa à vontade para continuar fiscalizando e cobrando o que eu achar que está errado. Por outro lado vou continuar apoiando as iniciativas e projetos que possam trazer benefícios para a cidade e para a população.

O senhor tem cobrado remédios nas farmácias, não teme ser repreendido pelo PT por causa dessa sua posição?

O partido participa do governo. A minha função como representante da população é fiscalizar e cobrar. Acredito que não serei repreendido por lutar pela melhoria no atendimento na saúde. Essa sempre foi uma bandeira do nosso partido. A falta de medicamentos nas farmácias distritais é um problema sério que traz muitos prejuízos para a população, não dá para fechar os olhos e fingir que não está acontecendo. Vou continuar fiscalizando e cobrando até que o problema seja resolvido.

O senhor será sempre fiel nas votações à orientação do seu partido?

Os nossos votos são decididos nas reuniões da bancada. Vou ser sempre fiel aos projetos que visem beneficiar a população e a cidade. E a orientação do PT sempre foi a de preservar o bem-estar de todos e lutar pelo bem comum.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave