Um artista que expressa a imaginação pelo desenho

José Carlos Silva, morador do Flamengo, utiliza seu talento como ilustrador para ganhar a vida, colocando em prática a criatividade e a paixão pela arte surgida na infância

iG Minas Gerais |

Super-heróis. 
Personagens são uma das especialidades do desenhista
josé carlos silva/divulgação
Super-heróis. Personagens são uma das especialidades do desenhista

A arte do desenho é uma das formas de expressão mais importantes do ser humano. Ela tem acompanhado o homem desde os tempos pré-históricos, inserida em diferentes contextos sociais, sem nunca perder sua relevância. O que para alguns pode ser considerado só uma brincadeira que exige muita imaginação, para outros é um meio de vida e de expor sua criatividade para o público. É o caso do desenhista José Carlos Silva, de Contagem. Ilustrador profissional há mais de dez anos, José Carlos, de 32 anos, que é morador do bairro Flamengo, começou a se interessar pela arte na infância, depois de se encantar com os desenhos produzidos pelo pai. “Não esqueço quando pedi pra que ele fizesse um Batman e Robin para mim e fiquei maravilhado com aquilo. Maravilhado mesmo. Desde então, sempre desenhei, como toda criança”, conta. No entanto, a verdadeira paixão de José Carlos pelo desenho e a certeza de que queria seguir na arte apareceram um pouco mais tarde, já na adolescência. “A paixão veio aos meus 14 anos, quando comecei a conseguir criar as ilustrações da minha cabeça. Sem observação. Meus personagens, meus cenários, meus mundos. Isso fez com que chegasse à conclusão de que queria fazer isso para a vida toda”, diz. Apesar de ter formação técnica, José Carlos diz que foi com a experiência cotidiana que pôde evoluir suas habilidades. Isso, ele conta, acabou ocorrendo porque, na época em que estava começando, não havia muitas instituições com cursos voltados para a área de histórias em quadrinhos. “Me formei na Escola Técnica INAP em desenhos artísticos. Mas a maior parte do aprendizado foi com a prática do trabalho no dia a dia”, afirma. Atualmente, José Carlos tem duas principais atividades diárias. Além de trabalhar com quadrinhos para uma editora norte-americana, ele realiza todos os tipos de ilustrações para uma empresa de e-learning, em Belo Horizonte. Influências e valorização Trabalhando há vários anos como desenhista, José Carlos é enfático ao dizer que considera justa a valorização do profissional que trabalha com arte atualmente. “Se você se dedicar, estudar bastante e se tornar um profissional qualificado, será bem recompensado por isso em todos os sentidos. Mas tem que se esforçar mesmo”, afirma. Além disso, José Carlos, que considera que o reconhecimento é proporcional ao esforço realizado, destaca que a valorização do profissional que desenha já foi pior. “Hoje em dia, com a internet, é mais fácil encontrar meios de se promover e ter uma maior visibilidade”, diz. Para ele, apesar de seu pai, que também desenha, tê-lo influenciado indiretamente a seguir na arte, todas as pessoas que já fizeram parte de sua vida em algum momento também foram responsáveis. “Toda a reação de admiração que eu gerava nas pessoas quando viam um desenho surgindo me fez perceber que tinha algo especial ali que não podia deixar morrer”, conta. E para desenvolver habilidade com as artes, segundo José Carlos, não é preciso nascer com um talento nato. “Acredito plenamente que qualquer um é capaz de conseguir desenvolver talentos. Depende apenas da escolha em se dedicar extremamente. Dei aula durante muitos anos, e você se espantaria em ver os resultados com pessoas que nunca pegaram em um lápis de desenho”, afirma.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave