História contada pelas melodias seculares de estrangeiros

Circuito de Órgãos Históricos traz o francês Bruno Forst e o português João Vaz a Mariana e Tiradentes

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Bruno Forst tocará pela primeira vez na Catedral da Sé, em Mariana
TelmaVerissimo
Bruno Forst tocará pela primeira vez na Catedral da Sé, em Mariana

Como um aperitivo paralelo do 1º Festival de Música Antiga de Diamantina – que começa hoje –, o Circuito de Órgãos Históricos de Minas Gerais promove um encontro luso-francês com dois dos principais expoentes do órgão europeu contemporâneo. Entre hoje e domingo, os organistas Bruno Forst e João Vaz farão três concertos em Mariana e Tiradentes, em uma iniciativa para aproximar o público mineiro da música antiga.

A proposta inédita em Minas Gerais é idealizada por Marcos Brescia, organista e diretor artístico do festival, que pretende levar a música barroca para uma plateia distinta, ao integrar o Circuito de Órgãos com o festival diamantinense, para expor o importante acervo musical mineiro de partituras, instrumentos e peças raras enraizadas no interior mineiro. “A parceria entre o festival diamantinense e o circuito organístico mineiro possibilita que outros públicos possam apreciar a arte desses artistas junto a instrumentos históricos de Minas, o mais importante relicário do órgão barroco no Brasil, seja pelo incontornável corpus instrumental preservado, seja pelas bem-sucedidas políticas de salvaguarda”, avalia Brescia.

Nessa integração, o francês Bruno Forst abre o Circuito de Órgãos com apresentação no órgão Arp Schnitger, na Catedral da Sé de Mariana, em duas oportunidades: hoje, às 11h30, e no domingo, às 12h30. O órgão é uma das raridades construídas por José Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho, em 1753. Para Forst, que há 20 anos reside na Espanha como organista da Igreja de San Andrés, em Valladolid, a escolha do local para seu concerto “não poderia ser mais apropriada dado ao caráter histórico do órgão Arp Schniger, que tem também influência da música antiga portuguesa, próxima do Brasil”. No repertório do francês, estarão peças de Michael Praetorius, Heinrich Scheidemann e Samuel Scheidt.

O outro concerto fica por conta do português Jorge Vaz, professor da Escola Superior de Música de Lisboa e responsável por diversas consultorias para restauração de órgãos na Europa, como o da Basílica do Palácio Nacional de Mafra – um dos principais de Portugal. Ele toca na Matriz de Santo Antônio, em Tiradentes, no domingo, a partir das 20h, e vai interpretar peças de compositores portugueses como António Carreira e Manoel Rodrigues Coelho, além de obras de Sebastian Bach e Antionio Paganelli.

Agenda

O QUE. Circuito de Órgãos Históricos de Minas Gerais

ONDE. Tiradentes e Mariana

QUANDO. Entre hoje e domingo

QUANTO. De R$ 20 a R$ 35

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave