Tática deve priorizar a internet

O instituto realizou vários experimentos usando ferramentas como Google Ideas, Twitter e Facebook para tentar engajar diretamente potenciais recrutas e dissuadi-los de entrar para o brutal movimento jihadista

iG Minas Gerais |

Washington. A internet se tornou um campo de batalha crucial na luta contra a propaganda jihadista, e as nações ocidentais precisam configurar seu jogo, de acordo com participantes da cúpula contra o extremismo em Washington.

Especialistas afirmam que o governo deve se engajar no estilo do marketing corporativo para combater o Estado Islâmico, que faz uso de vídeos para recrutar estrangeiros para os campos de batalha do Iraque e da Síria. “Se o EI é um departamento de ‘branding’ e de marketing, onde nós estamos?”, disse Sasha Havlicek, fundadora e diretora executiva do escritório de Londres do Instituto para Diálogo Estratégico (ISD, sigla em inglês). O instituto realizou vários experimentos usando ferramentas como Google Ideas, Twitter e Facebook para tentar engajar diretamente potenciais recrutas e dissuadi-los de entrar para o brutal movimento jihadista. Peter Neumann, diretor do Centro Internacional de Estudos da Radicalização, disse que, embora o que cada um fez até agora para enfrentar os grupos extremistas tenha sido “ótimo”, trata-se “somente de uma gota no oceano”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave