Sítio onde mulher foi forçada a beber sangue do marido é pichado

Assalto com requintes de crueldade aconteceram no dia 30 de janeiro em Paineiras, na região Central do Estado

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Porteira do sítio onde o crime foi cometido foi pichada com ameaças
Reprodução do facebook
Porteira do sítio onde o crime foi cometido foi pichada com ameaças

Se não bastasse a dificuldade para superar o trauma adquirido após serem vítimas de um assalto em que a mulher foi obrigada a beber o sangue do marido, um casal que vivia na cidade de Paineiras, na região Central de Minas Gerais, passou a receber ameaças nesta semana. O crime aconteceu no dia 30 de janeiro.

Cerca de 20 dias após o crime, já vivendo em outra cidade, familiares das vítimas foram até o sítio e encontraram a porteira pichada. "Não conseguiu prender nós não. Matar todos", era a frase escrita no local. A informação foi divulgada nas redes sociais pela filha da mulher agredida durante o assalto. 

"Que vergonha, será até onde vocês vão com isso? Quem faz esse tipo de coisa é porque não tem coração, nem educação ou as vezes nem família. Vocês estão ganhando o quê pichando a porteira da casa da minha mãe? Respeita os sentimento das pessoas que vocês destruíram. Vocês acabaram com minha família, o que mais vocês querem?", dizia o post da jovem, que não terá o nome divulgado. 

Segundo a filha, a mãe e o padrasto viviam no sítio há 36 anos e precisaram deixar o local por medo. "Tinham suas rotinas diárias. Hoje estão aqui, tristes, traumatizados, amedrontados. Quem fez isso não tem noção do que estamos passando, tem que ser muito covarde mesmo", disse. 

No último dia 11, a Polícia Civil (PC) de Abaeté, que investiga o caso, prendeu dois suspeitos do crime. Um rapaz de 26 ano confessou ter cometido o crime juntamente com um primo da vítima, de 24 anos. Os detidos estão no presídio da cidade. Diante da pichação, a corporação acredita que se trate de alguém querendo intimidar a família. Uma restituição do crime ainda será feita antes do encerramento do inquérito. 

Relembre

Uma dupla armada rendeu o proprietário, de 52 anos, na frente da casa por volta das 5h. Ele foi levado para dentro da residência, onde eles foram amarrados e torturados. Os bandidos já entraram pedindo dinheiro, afirmando que sabiam que o casal guardava uma quantia em casa. Eles reviraram a casa e chegaram a falar que sabiam que o casal havia vendido um imóvel e queriam o dinheiro da venda. 

Quando viram que só conseguiriam um cheque de R$ 2 mil e R$ 1.500, os criminosos atiraram no maxilar esquerdo do homem e fizeram com que a mulher, de 58 anos, bebesse o sangue. A vítima contou à polícia que os bandidos eram bastante agressivos e estavam encapuzados, sendo ambos morenos.

O casal foi socorrido por vizinhos para o Pronto Atendimento de Paineiras. A mulher foi atendida e liberada, já o homem foi encaminhado para o Hospital Municipal Monsenhor Flavio Damato em Sete Lagoas, também na região Central, onde permaneceu internado por um tempo.