Associação dos Consumidores já prepara ação

Faria explica que, para a indústria, o baque com o encarecimento da energia é maior

iG Minas Gerais |

A Associação Nacional dos Consumidores de Energia (Anace) já prepara uma ação contra os encargos que elevam o preço da eletricidade no Brasil. A previsão é que a tarifa suba 53% para o setor industrial neste ano.

Levantamento realizado pela associação aponta que somente com o Encargo de Serviço do Sistema haverá um acréscimo de R$ 20 por megawatt/hora na conta das empresas. O presidente da Anace, Carlos Faria, disse que o governo está repassando para a indústria custos que deveriam ser pagos por todos os consumidores.

A crise no setor elétrico coloca em xeque as possibilidades de recuperação do setor industrial, que encerrou 2014 com redução na produção e também nos postos de trabalho.

“O crescimento da economia como um todo é afetado pela crise de energia. Mas a indústria já vem de uma situação difícil”, destaca o presidente Carlos Faria. E completa: “No ano passado, o consumo de energia cresceu 3,7% no Brasil e foi puxado pelas demandas residenciais e dos setores de comércio e serviços. A demanda da indústria diminuiu 3%, o que mostra queda da produtividade”.

Faria explica que, para a indústria, o baque com o encarecimento da energia é maior. “A renovação dos contratos das empresas que compram energia no mercado livre já começou. O aumento de preços foi de 100% para muitas delas. O mercado segue a lógica da oferta e procura.”

A Anace teme pelo futuro do setor. “Temos muitas empresas de fora que produzem em outros países. Nosso medo é que essas companhias decidam sair do Brasil”. O racionamento, segundo Faria, seria “um verdadeiro desastre para a indústria nacional”.

Custo Firjan. Levantamento divulgado neste mês pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) aponta que o custo médio de energia é de R$ 403,80 por MWh para a indústria hoje no Brasil.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave