PM é detido sob suspeita de estupro em Coromandel

Vítima disse ter aceito carona do militar para registrar ocorrência em delegacia, e que teria sido abusada no caminho; ele diz que sexo foi consensual, e que a mulher tentou tomar dinheiro dele

iG Minas Gerais |

Um policial militar de 27 anos foi detido sob suspeita de estupro, em Coromandel, no Alto Paranaíba. O caso foi registrado na segunda-feira (16), depois de ele sair de um baile de carnaval. O militar alega que o sexo foi consensual. Por envolver membro da corporação, a Polícia Militar não pode repassar os nomes dos envolvidos antes de a história ser esclarecida.

De acordo com a vítima, de 30 anos, ela estava em um posto de combustíveis da cidade, em companhia de um homem, com quem teria começado uma discussão. O militar, de folga, chegou ao local e presenciou o bate-boca entre eles. O homem, então, entrou no carro e foi embora.

O policial ofereceu ajuda para que ela registrasse ocorrência. A mulher se sentiu segura, e entrou no carro dele. Esse porém, mudou a rota e a levou para uma estrada de terra, onde foi obrigada a manter relações sexuais com ele. Depois, ela teria saído correndo do carro até a beira da estrada. O militar foi atrás, a puxou para dentro do veículo e, novamente, a estuprou.

Ao final, ele a deixou no acostamento. Ela conseguiu carona com um casal, que a levou de volta para a cidade. A mulher procurou a delegacia e prestou queixa. À polícia, ela disse não saber nada sobre o homem, e que foi abusada dentro de um Fiat Palio vermelho, do qual ela também não teve tempo de anotar a placa.

Outra versão

Na versão do militar, a relação aconteceu com o consentimento dela. Ele participava de uma festa de carnaval na cidade, e teria ido para o posto de combustível, depois de se desentender com a namorada e a deixar em casa.

No local, ele presenciou a briga entre a mulher e o homem, que deixou o local assim que ele chegou. Ele ofereceu ajuda. Eles conversaram por algum tempo, e ela sugeriu um lugar mais reservado. Eles entraram no carro, e ele dirigiu até um local ermo, e lá fizeram sexo. Depois da relação, eles voltaram para a estrada. Na sequência, o militar parou em outro posto de combustíveis para comprar água. Ao retornar para o veículo, percebeu que a mulher mexia no porta-luvas.

Ela disse que precisava de dinheiro, porque seu companheiro a havia deixado sem nenhum. Ele disse que tinha apenas R$ 80, e que não poderia lhe dar. A mulher, então, tentou tomar a carteira dele. Ele resistiu, e disse ter sido arranhado no rosto. Ela passou a ameaçá-lo, tirou a roupa e foi para estrada pedir socorro, gritando que havia sido estuprada.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, a suposta vítima passou por exames em um hospital da cidade. O caso foi encaminhado para a 11ª Delegacia de Polícia de Coromandel.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave