MP suíço faz buscas no HSBC para investigar lavagem de dinheiro

As denúncias de sonegação fiscal foram feitas inicialmente pelo SwissLeaks, um consórcio internacional de jornalismo investigativo

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

(FILES) In this file picture taken on on June 14, 2013 clouds gather over a sign of HSBC private bank (Suisse) in the center of Geneva.   A cache of secret bank files shows that HSBC's Swiss banking arm helped wealthy customers avoid taxes and hide millions of dollars, according to a report by a network of investigative journalists released on February 8, 2015.  AFP PHOTO / FABRICE COFFRINI
AFP
(FILES) In this file picture taken on on June 14, 2013 clouds gather over a sign of HSBC private bank (Suisse) in the center of Geneva. A cache of secret bank files shows that HSBC's Swiss banking arm helped wealthy customers avoid taxes and hide millions of dollars, according to a report by a network of investigative journalists released on February 8, 2015. AFP PHOTO / FABRICE COFFRINI

O Ministério Público de Genebra, na Suíça, fez buscas hoje (18) nos escritórios do HSBC Holdings, após a Justiça do país abrir investigação criminal por suspeitas de que o banco esteja sendo usado para facilitar a prática de crimes de lavagem de dinheiro. O trabalho de busca foi coordenado pelo procurador-geral Olivier Jornot e pelo procurador Yves Bertossa.

As denúncias de sonegação fiscal foram feitas inicialmente pelo SwissLeaks, um consórcio internacional de jornalismo investigativo. De acordo com a entidade, a instituição ajudou clientes de mais de 200 países a sonegarem impostos. Estima-se que 104 bilhões de euros tenham sido sonegados com a ajuda do HSBC entre novembro de 2006 e março de 2007.

Apesar de concentrada no HSBC Private Bank da Suíça, as investigações poderão ser direcionadas também a pessoas físicas, uma vez que, segundo a imprensa internacional, há uma lista com 106 mil contas bancárias, a chamada Lista Falciani. Nela estão nomes de empresas e pessoas supostamente envolvidas, como políticos, artistas, desportistas, empresários e até mesmo indivíduos acusados de atividades criminosas como terrorismo, tráfico de drogas, de armas e de diamantes.

Com a divulgação de parte das informações, foram abertas investigações criminais também na França, Bélgica, Argentina e nos Estados Unidos. No domingo (15), o HSBC divulgou nota pedindo desculpas aos clientes e investidores pelas práticas de sua subsidiária após alegações de que ajudou clientes a não cumprirem com as obrigações fiscais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave