FIA vai proibir troca de pinturas de capacetes, diz revista inglesa

Segundo a Autosport, a ação foi acordada entre a maior entidade do automobilismo e as próprias equipes, que querem melhorar o apelo comercial do esporte

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Capacete adaptado teve que se
Reprodução/Twitter
Capacete adaptado teve que se "contentar" com estrelas do tetra

Os pilotos da Fórmula 1 serão proibidos de mudar pinturas de capacetes a partir do campeonato de 2015. É o que revela a revista britânica Autosport, nesta quarta-feira, 18 de fevereiro. De acordo com a publicação, a medida foi definida nessa terça-feira, numa reunião em Genebra, na Suíça, entre a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), conjuntamente com Bernie Ecclestone (dono dos direitos comerciais da F-1) e as equipes.

A ação visa, segundo a Autosport, ajudar os torcedores a identificar melhor os pilotos nas corridas e aumentar o apelo comercial pelo esporte. Como era o caso do brasileiro Ayrton Senna, que sempre utilizava o icônico capacete amarelo e verde, sua marca registrada.

Um dos pilotos que mais modifica o design do capacete é o tetracampeão pela RBR, Sebastian Vettel, que ao longo da sua carreira usou 60 tipos de pinturas diferentes. O espanhol Fernando Alonso da McLaren, o inglês Lewis Hamilton e o alemão Nico Rosberg, da Mercedes, são outros corredores que também costumam modificar as cores dos capacetes.

Segundo a revista, os pilotos ficarão limitados a apenas um desenho do capacete por temporada.

Os corredores da Fórmula 1 voltam as pistas nesta quinta-feira, 19 de fevereiro, para a segunda fase da pré-temporada 2015. As equipes vão voltar a avaliar os carros em quatro dias de testes em Barcelona, na Espanha.