Inter leva baile nas alturas e estreia com derrota na Libertadores

Em La Paz, Colorado foi "devorado' pelo "Tigre" The Strongest por 3 a 1 com dois gols de Chumacero

iG Minas Gerais | AFP |

Inter até poderia ter perdido por um placar maior frente ao boliviano The Strongest
INTER/DIVULGAÇÃO
Inter até poderia ter perdido por um placar maior frente ao boliviano The Strongest

Em busca do tri na Copa Libertadores, o Internacional começou sua campanha de forma preocupante ao perder por 3 a 1 para o The Strongest, nesta terça-feira em La Paz.

É sempre difícil jogar a 3.600 m de altitude, mas nada que tire o mérito do 'Tigre' boliviano, que devorou literalmente o Colorado.

Chumacero abriu o placar aos 10 minutos de jogo e Ramallo ampliou logo aos 14. D´Alessandro descontou de pênalti aos 3 do segundo tempo, mas Chumacero voltou a balançar as redes aos 40, selando de vez a vitória dos anfitriões.

Para piorar, o time gaúcho não poderá contar com Nilmar nas próximas rodadas, já que o atacante foi expulso a dois minutos do fim.

Lanterninha do grupo 4, Inter tentará somar seus primeiros pontos na competição no dia 26 de fevereiro, quando receberá no Beira-Rio o Universidad do Chile, que também estreou com derrota, ao ser surpreendido em casa por 1 a 0 pelo Emelec, do Equador. O The Strongest assumiu a liderança, por ter marcado mais gols que os equatorianos.

Conforme havia anunciado, o técnico Diego Aguirre escalou Anderson, recém-contratado junto ao Manchester United. Encostado no clube inglês, onde passou praticamente dois anos sem jogar, o volante acusou a falta de ritmo, sentiu os efeitos da altitude e foi substituído ainda no primeiro tempo por Vitinho, quando o time já perdia por 2 a 0.

Depois de levar um verdadeiro baile no primeiro tempo, o Colorado foi melhor no segundo, e quase chegou ao empate com um chute de primeira de Vitinho que explodiu no travessão.

Mesmo assim, o The Strongest continuou levando perigo até o fim, conseguiu marcar o terceiro e poderia até ter vencido por um placar mais amplo se não tivesse esbarrado na trave e nas grandes defesas de Alisson. 

Sufoco e falhas defensivas

O The Strongest teve sua primeira chance de gol com menos de três minutos de bola rolando. Chumacero recebeu na esquerda da área e rolou para Cristaldo, que encheu o pé, mas teve seu chute travado pela zaga colorada.

O Inter respondeu logo no minuto seguinte, em grande jogada de Nilmar. O atacante recebeu lançamento de D´Alessandro pelo meio, passou por três marcadores e ficou cara a cara com o goleiro Daniel Vaca. Só faltou caprichar um pouco mais na finalização. Foi a única jogada de perigo do time gaúcho em toda a primeira etapa.

A torcida boliviana precisou esperar apenas dez minutos para soltar o primeiro grito de gol. Torrico abriu para Escobar na esquerda da área, o meia recuou de primeira para Cristaldo, que soltou a bomba da marca da pênalti. O goleiro Alisson defendeu, mas deu rebote e Chumacero apareceu para mandar a bola no fundo das redes.

O time gaúcho sentiu o golpe e levou o segundo quatro minutos depois, numa combinação de azar e falha de marcação.

Escobar encontrou espaço na meia-lua e arriscou da entrada da área, o chute veio fraco e sem direção, mas caiu justamente nos pés de Ramallo, que estava inexplicavelmente livre, cara a cara com Alisson, e finalizou de três dedos, sem ser incomodado. 

Os jogadores da Inter chegaram a levantar a mão para pedir impedimento, mas o atacante estava em posição legal e o juiz validou o gol.

Precisando de uma reação imediata, Aguirre foi para o tudo ou nada ao tirar Anderson, que acusou claramente a falta de ritmo de jogo, para a entrada de Vitinho aos 36.

O treinador quase lamentou o fato de ter queimado uma alteração tão cedo, quando D´Alessandro caiu no gramado, sentindo muitas dores, depois de sofrer uma entrada dura de Veizaga.  O meia argentino voltou para o jogo, para o alívio do companheiros e da torcida colorada.

Herói e vilão

Foi justamente 'Dale' quem descontou logo depois do intervalo, com um pênalti cobrado com perfeição no ângulo. A juiz marcou a penalidade máxima por um toque de mão de um zagueiro em cruzamento do próprio D´Alessandro.

O gol deu ânimo ao Inter e Eduardo Sasha quase empatou de cabeça aos 9, mas Vaca se esticou todo para tirar a bola no ângulo.

O The Strongest respondeu aos 12, com um petardo de longa distância de Escobar que Alisson espalmou.

Depois de um bom início de segundo tempo, o Colorado voltou a passar sufoco e Ramallo quase anotou o terceiro do time da casa aos 20, com um lindo voleio, na conclusão de um contra-ataque puxado por Escobar.

O Inter acordou aos 21, quando Vitinho surgiu na pequena área para escorar um cruzamento de Sasha e carimbou o travessão.

Alisson também foi salvo pela trave cinco minutos depois, em mais um chutaço de Escobar.

Rafael Moura entrou aos 28 no lugar de Sasha, mas nem o 'He-Man' foi capaz de tirar o Colorado do sufoco no ar rarefeito de La Paz.

Quem acabou sendo aclamado como um super-herói foi Chumacero, que acabou de com as esperanças do Inter a cinco minutos do fim, quando driblou Alisson para anotar seu segundo gol da partida.

E o vilão da história foi Nilmar, que deu um pisão em Wayar e levou o cartão vermelho direto.

Leia tudo sobre: libertadoresinterd'alessandrochumacerola pazthe strongesttigre