A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! Três dias atrás, se alguém me dissesse que o Galo viajaria para a estreia na Libertadores, no Chile, sem Marcos Rocha, Lucas Pratto e Carlos, e que Jô seria o centroavante titular, eu não acreditaria. Mas como no futebol as coisas mudam de uma hora para outra, foi assim que aconteceu na viajem da delegação ontem. Os três primeiros não embarcaram, e Jô ficou com a 9 para a estreia diante do Colo-Colo. Essa mudança de última hora trouxe perdas significativas para a equipe. Se o Galo estivesse completo, teria tudo para fazer um grande jogo, pois vai enfrentar um adversário que não fica só na defesa, e teria todo espaço para impor sua velocidade. Mas, como eu sempre digo, não dá pra ficar lamentando ausências, temos que dar força para aqueles que entram. Eu acho que vamos ter que fazer valer a mística do “Eu acredito” mais cedo que pensávamos.

A voz Celeste

Saudações celestes, nação azul. O Cruzeiro se reapresentou nessa segunda de Carnaval, e alguns jogadores que vinham de lesões foram liberados pelo DM para treinar normalmente. Ou seja, Marcelo Oliveira já pode colocar o time que certamente irá iniciar a Taça Libertadores em campo no próximo sábado contra o Boa Esporte. Estou confiante, principalmente pelo futebol apresentado por Arrascaeta, que já entrou com muita personalidade. Tenho certeza que ao lado de Alisson e Willian, o meia uruguaio nos dará muitas alegrias. Quem tem mostrado muita vontade e merecido os elogios da nação é Marquinhos, presente no ataque e importantíssimo na recomposição da defesa. Gosto de vê-lo em campo, sempre raçudo e polivalente. E não se deixem enganar, caríssimos, somos internacionalmente conhecidos como La Bestia Negra das Américas, e seguimos favoritos ao tricampeonato da Liberta 2015.

Avacoelhada

Apesar da vitória sobre o Tupi, defeitos foram repetidos e outros erros acrescentados. A saída de bola, que já estava ruim com Leandro Guerreiro e Thiago Santos, piorou com a entrada do Lorenzi e com os chutões, desnecessários, do Anderson. Wesley Matos e Anderson falharam nas jogadas aéreas e na marcação do Daniel Morais. Mancini, Felipe Amorim e Rodrigo Silva acertaram pouquíssimas finalizações. Henrique continuou participativo na marcação, quase um lateral esquerdo, mas pouco efetivo na parte ofensiva. João Ricardo se destacou pelas defesas salvadoras, e Patrick, pela habilidade, no gol marcado. Dopô demonstrou potencial criativo no lançamento perfeito para Robertinho marcar o segundo gol. Jogada de volante com qualidade técnica na transição. O América precisa valorizar e qualificar a troca de passes para se impor sobre os adversários.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave