Minientrevista

GIves Gandra

iG Minas Gerais |

Como o senhor sintetiza a fundamentação jurídica para a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff?

É um mero parecer jurídico, com base em imprudência, negligência, omissão. O meu parecer não procurou dizer que tem que haver impeachment. Isso depende de uma decisão política. A decisão é exclusivamente do Congresso.

O senhor entende que deve haver impeachment? Não estou dizendo que a presidente Dilma é desonesta. Estou falando da gestão da Petrobras, em que houve imprudência. Fiquei espantado com a repercussão do parecer porque houve uma repercussão política.

E a associação do seu nome ao do ex-presidente FHC? Já sabia que o advogado (José de Oliveira Costa) trabalhava para o FHC, e a primeira pergunta que fiz foi se era um pedido de FHC. Ele disse que não.

O que é preciso para que um processo de impeachment avance? A Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras, se não for oficial, pode esclarecer os fatos. Só depois da CPI pode haver ambiente político para impeachment. (DM)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave