Assim caminha a insanidade

Atores revelam histórias inusitadas e engraçadas de fãs que fazem de tudo por um momento com seus ídolos

iG Minas Gerais | luana borges tv press |

Afonso Carlos/Czn
undefined

A televisão exerce fascínio nas pessoas. E os atores de novela mais ainda. Tanto que muitos ganham fã-clubes, milhares de seguidores nas redes sociais e não conseguem sair na rua sem que ao menos alguém os reconheça. Tudo porque simplesmente aparecem na televisão. Tamanha euforia, muitas vezes, resulta em histórias no mínimo inusitadas.

Joaquim Lopes, no ar como o Enrico de “Império”, já passou por poucas e boas. Na época em que apresentava o “Dança da Galera”, quadro do “Domingão do Faustão”, ele se surpreendeu com a histeria do público que acompanhava as gravações em uma cidade pequena do Pará. Ao descer do palco, chegou a duvidar da “dimensão da coisa” quando um policial que estava no local o alertou para correr. “Na hora que olhei para trás, tinha uma galera vindo em cima e não achei que fosse para mim. Mas saí correndo e uma menina conseguiu passar e me deu uma arranhada no ombro. Foi meu momento Beatles”, recorda, aos risos.

O público adolescente costuma ser o mais fervoroso. Pelo menos foi o que Sophia Abrahão pôde comprovar na época em que era uma das protagonistas de “Rebelde”, da Record. Mas, mesmo com o fim da trama, a atriz continua atraindo a atenção de um sem número de jovens. Assídua nas redes sociais, ela faz questão de acompanhar tudo o que os fãs falam sobre seu atual desempenho na pele de Gaby, em “Alto Astral”. E também fica sabendo dos rompantes que fazem em nome dessa admiração, como, por exemplo, tatuar seu nome. “Tenho vários fãs que já fizeram isso. Sempre repito que não incentivo, mas não posso deixar de citar porque é uma maluquice”, avalia.

Quando se trata de um aspirante a galã, as saias justas podem ser ainda mais frequentes. Quando mais novo, Kayky Brito passava por situações constrangedoras por causa de meninas que queriam beijá-lo na boca a todo custo. “Eu só queria fugir de lá. Nada contra, mas é assustador”, diz o intérprete do Israel da novela das sete da Globo. Hoje, aos 26 anos, o ator agradece o carinho que recebe do público que o assiste na televisão. “Participei de eventos em que tive a sorte de ter contato com fãs do Brasil todo”, salienta.

Na mesma categoria de jovem galã, encontra-se Ricky Tavares. Na época em que atuava em “Malhação”, inclusive, chegou a receber uma carta de quatro quilômetros com milhares de “eu te amo” escritos. “Tenho guardada até hoje”, orgulha-se ele, que vive o Mossoró de “Vitória”, da Record. Outra vez, enquanto andava na rua durante um evento em que trabalhou, foi “raptado” por um carro com várias mulheres. “Elas me puxaram para dentro! São histórias que vou contar para os meus filhos e netos”, planeja ele.

Mas Guilherme Leican protagonizou uma situação ainda mais inusitada. Simpático, o intérprete do Gustavo de “Alto Astral” tem o hábito de posar para fotos com as pessoas que dão plantão na porta do Projac – complexo de estúdios da Globo – na esperança de ver de perto algum famoso. Mas ele nunca iria imaginar que uma delas teria a audácia de ir até a casa de sua mãe. “Ela entrou, sentou, almoçou e, quando cheguei, falou que era minha amiga da porta do Projac”, revela, às gargalhadas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave