Trânsito e queda de destaque marcam primeiro dia de desfile

Grande congestionamento que se formou nas imediações do Sambódromo dificultou o acesso à área; destaque da Império Serrano caiu de um dos carros alegóricos de uma altura de 5 metros mas passa bem

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

RJ: Desfile da União da Ilha no primeiro dia de apresentações das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, no sambódromo Marquês de Sapucaí
MARCOS DE PAULA/AGÊNCIA ESTADO/AE
RJ: Desfile da União da Ilha no primeiro dia de apresentações das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, no sambódromo Marquês de Sapucaí

Como acontece em todos os anos, o primeiro dia das escolas de samba soa mais como um grande ensaio geral para os dias seguintes até a apresentação das Escolas do Grupo Especial. Na Marquês de Sapucaí, apresentaram na apresentaram sete das 15 agremiações que disputarão o direito de ascender ao Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro.

O desfile teve início com um pequeno atraso e vários problemas: as duas primeiras agremiações a se apresentarem, a Unidos de Bangu e a Em Cima da Hora abriram nesta sexta-feira (13), com reclamações pelas dificuldades acarretadas no trânsito, que acabou fazendo com as agremiações desfilassem incompletas e se apresentassem desfalcadas de adereços e fantasias, segundo os responsáveis, em razão do grande congestionamento que se formou nas imediações do Sambódromo dificultando o acesso à área.

Com cinco minutos de atraso, que deveria ter iniciado às 21h, foi aberto o desfile pela  Escola de Samba Unidos de Bangu, da zona oeste da cidade, que entrou na passarela como vencedora da Série B, no Carnaval do ano passado. A escola de samba trouxe o enredo Imperium, do carnavalesco Rodrigo Almeida, procurou misturar mitologia e realidade numa viagem para retratar a conquista de grandes impérios ao redor do mundo.  A escola apresentou com alguns problemas, dentre eles, a quebra de um dos carros alegóricos e diversas alas se apresentaram com fantasias incompletas por não terem chegado a tempo para o início do desfile.

A  Escola de Samba Em Cima da Hora foi a segunda agremiação a pisar no Sambódromo trazendo o enredo No coração da cidade. O autor do enredo, o carnavalesco Marco Antônio se inspirou na obra  As Mil e Uma Noites, para falar sobre a influência árabe, na arte e na cultura do Rio.

Como já havia acontecido com a Unidos de Bangu, também a Em Cima da Hora apresentou diversos problemas em sua apresentação: há poucos minutos do início do desfile, mais de 80% dos componentes ainda estavam sem fantasia e os cerca de 250 ritmistas se apresentaram só com as ombreiras e o chapéu. Mais uma vez, os problemas foram atribuídos ao congestionamento nas imediações da área de desfile.

Sanados os problemas iniciais e amenizado o congestionamento, o desfile pode, enfim, acontecer em sua plenitude: coube a Império Serrano, escola de tradição com várias passagens pelo Grupo Especial, inclusive nove títulos e diversos outros vice-campeonatos, a escola de Madureira, bairro da zona norte do Rio, trouxe para a Sapucaí o enredo Poemas aos peregrinos da fé, do carnavalesco Severo Luzardo.

Luzardo procura contar as histórias dos romeiros e devotos que fazem os mais diversos tipos de sacrifícios para demonstrar a sua fé e o seu amor ao seus santos. Com um desfile consistente e um enredo de fácil leitura, a agremiação da Serrinha é uma das fortes candidatas ao grupo especial, apesar do contratempo enfrentado na passarela: um dos destaques da escola caiu de um dos carros alegóricos de uma altura de cerca de 5 metros e foi levada para o Hospital Souza Aguiar. Ela recebeu alta sem  ferimentos graves.

Leia tudo sobre: desfileescolassambódromoRio